Faixa publicitária
Época chuvosa 2019 – 2020 com risco de cheias no Licungo; cidades de Maputo, Matola, Beira e Quelimane voltarão a ter inundações
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 17 Setembro 2019 (Actualizado em 18 Setembro 2019)
Share/Save/Bookmark

Instituto Nacional de MeteorologiaNão há previsão de cheias no início da próxima época chuvosa em Moçambique porém, no início de 2020, existe risco de cheias na Bacia Hidrográfica do Licungo. Entretanto a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos (DNGRH) alerta que as construções desordenadas e fraco saneamento nos bairros suburbanos voltará a causar inundações nas cidades de Maputo, Matola, Beira e Quelimane.

Depois da mais mortífera época chuvosa de que temos memória os meteorologistas moçambicanos indicam que o fenómeno El Niño, que exerce grande influência nas condições meteorológicas do planeta, está neutro e deverá surgir com magnitude fraca até Março de 2020 por isso preveem chuvas normais com tendência para acima do normal nas regiões Sul e Centro do País até Dezembro 2019 e precipitação normal com tendência para abaixo de normal até Março de 2020.

Com esta previsão, e tendo em conta que as bacias hidrográficas da Região Sul “apresentam índice de humidade muito baixo a baixo” enquanto “na Região Centro e Norte predomina índice de humidade alta a muito alta”, os técnicos da DNGRH prognosticam, até Dezembro, baixo risco de cheias nas bacias de Maputo, Umbelúzi, Incomáti, Limpopo, Inharrime, Govuro, Ligonha, Lurio, Lugenda e risco moderado nas bacias hidrográficas de Mutamba, Inhanombe, Save, Búzi, Savane, Púngoè, Zambeze, Licungo. Meluli, Mecuburi, Messalo, Megaruma e Montepuez.

No entanto a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos prevê que entre Janeiro e Março de 2020 o risco de cheias passe a moderado a alto nas bacias hidrográficas do Búzi, Púngoè, Zambeze, Namacura, Meluli, Mecuburi, Megaruma, Montepuez, e Messalo e indicam risco alto no Licungo.

Entretanto os prognósticos, apresentados semana passada durante o 6º Fórum Nacional de Antevisão Climática, alertam para cheias urbanas em alguns bairros das cidades de Maputo, Matola e Beira pois embora a chuva que se espera não seja muita as construções desordenadas e fraco saneamento irá causar inundações.

500 mil pessoas poderão ser afectadas por cheias na próxima época chuvosa

Na capital do país correm elevado risco de cheias os bairros de Chamanculo C, Chamanculo B, Xipamanine, Aeroporto A, Aeroporto B, Munhuana, Mafalala, Urbanização, Costa do Sol, Mutanhana, Magoanine, Bairro Central na avenida 25 de Setembro).

Instituto Nacional de Meteorologia

No município da Matola tem alto risco de inundação os bairros Fomento, Liberdade, Luís Cabral, Bunhiça e Nkobe, Matola A, Matola J, Matola H, e Matola D.

Na massacrada Cidade da Beira deverão voltar a ficar inundados os bairros de Induda, Manga Mascarrenha, Vaz, Munhava, Macurrungo, Chipangara, Chaimite e Maraza.

Instituto Nacional de Meteorologia

No município de Quelimane estão sob alto risco de cheias os bairros Aeroporto, Santagua, Canca, Samugue, Manhaua, Brandao, Mincajuine, Vila Pita, Torrone.

Instituto Nacional de Meteorologia

A Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos estima em pelo menos 500 mil as pessoas que poderão ser afectadas pelas cheias durante a próxima época chuvosa, comparativamente aos mais de 2 milhões de moçambicanos afectados pela época chuvosa 2018 /2019 e cuja maioria ainda está dependente de assistência humanitária.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 5
FracoBom