Faixa publicitária
Crédito mal parado volta a aumentar em Moçambique, FNB tem o pior rácio de crédito em incumprimento
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 14 Maio 2019
Share/Save/Bookmark

Banco de MoçambiqueO crédito mal parado reduziu ligeiramente em Moçambique, entre Setembro e Dezembro de 2018, no entanto voltou a aumentar no 1º trimestre deste ano. O FNB Moçambique (FNB), o Banco Terra (BTM) e a Gapi Sociedade de Investimento (GAPI) têm os piores rácios de crédito em incumprimento.

A Política Monetária que o Banco de Moçambique tem vindo a implementar, para conter a crise precipitada pelas dívidas ilegais, aumentou significativamente o crédito mal parado.

Situado abaixo dos 6 por cento em Dezembro de 2016 o Rácio de Crédito em Incumprimento (NPL) disparou atingindo um pico de 13,8 por cento no último trimestre de 2017. Em Dezembro desse ano reduziu e oscilou um pouco acima dos 12 por cento até voltar a crescer em Agosto de 2018.

“Anima-nos como banco central notar que pelo menos na informação mais recente há uma desaceleração dos níveis de crédito mal parado. Há uma queda acentuada na ponta final (do ano passado) decorrente da Política Fiscal, o pagamento que Estado fez ao atrasado de dívidas comerciais em finais do ano passado e um pouco no princípio deste ano permitiu que algumas empresas pudessem aproximar aos seus bancos e liquidassem parte de alguma dívida que já se encontrava em situação de mora, esperamos que em condições melhores acertadas no futuro esta taxa possa continuar a baixar”, referiu semana finda o Administrador do Banco de Moçambique, Felisberto Navalha.

Contudo o Administrador do Banco Comercial e de Investimentos , Manuel Soares, revelou durante o 2º Economic Briefing da Confederação das Associações Económicas (CTA) “nos últimos 3 anos a banca tem feito um esforço de limpeza de balanço (...) pôs fora uma série de créditos inconvenientes, constituindo as respectivas imparidades, mas não é reflectido na nossa economia”.

Entretanto indicadores prudenciais e económico-financeiros divulgados semana finda pelo banco central revelam que entre as 21 instituições financeiras a operarem em Moçambique aquela que tem o pior Rácio de Crédito em Incumprimento é o FNB com 37,44 por cento, do qual 7,44 por cento vencido até 90 dias.

Além do FNB têm Rácio de Crédito em Incumprimento elevado o Banco Terra e a GAPI

O @Verdade apurou que esta situação não é nova no FNB Moçambique, arrasta-se há mais de um ano. Aliás, na contra mão dos principais bancos comerciais este banco, que é controlado pelos sul-africanos do grupo FirstRand, quase não dá lucros.

Embora vanglorie-se de já estar ligado ao primeiro bilionário projecto de gás natural que avançou no Bloco do Rovuma este banco o FNB fechou o exercício fiscal de 2017 com um prejuízo de 147 milhões de meticais e em 2018 ficou pelo modesto lucro de 31,3 milhões de Meticais.

Banco de Moçambique

Também com elevados Rácio de Crédito em Incumprimento estão o Banco Terra com 28,99 por cento, do qual 19,32 vencido até 90 dias, a GAPI com 22,85 por cento, o Moza Banco com 22,34 por cento, o Banco Nacional de Investimentos com 21,08 e o Millenium Bim com 20,45 por cento .

No top 3 de melhor qualidade de activos está o Banco de Investimento Global que não tem nenhum crédito mal parado, a Cooperativa de Poupança e Crédito que tem um Rácio de Crédito em Incumprimento de 1,64 por cento e o Standard Bank com 1,94 por cento.

Banco de Moçambique

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 2
FracoBom