Faixa publicitária
Presidente Nyusi construiu somente 2 dos 16 Hospitais Distritais que prometeu
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 27 Fevereiro 2019
Share/Save/Bookmark

Foto de Adérito CaldeiraA promessa do Presidente Filipe Nyusi de aumentar de 44 para 60 os distritos com um Hospital continua por ser materializada. Entre 2015 e 2018 apenas duas Unidade Sanitárias foram edificadas. O @Verdade descobriu que a promessa de “construir dez Hospitais Distritais” em 2019 na realidade resume-se a sete... e existem outros 94 distritos de Moçambique sem qualquer previsão de ter um Hospital.

Quando tomou posse em 2015 o 4º Presidente de Moçambique prometeu: “Prosseguiremos com a construção de mais unidades sanitárias dotadas de meios técnicos adequados de diagnóstico e tratamento”. Dos 154 distritos do nosso país apenas 44 tinham uma Unidade Sanitária de referencia e a meta estabelecida, através do Plano Quinquenal, é de elevar para 60.

Escrutinando os Balanços aos Planos Económicos e Sociais desde 2015 o @Verdade apurou que foram escolhidos os distritos de Cuamba, Macomia, Montepuez, Mocímboa da Praia, Pebane, Mopeia, Monapo, Memba, Ilha de Moçambique, Gilé, Machaze, Fingoé, Massinga, Jangamo, Macia, Mapai e Manhiça como os beneficiários dos Hospitais Distritais.

Inicialmente avançaram as obras em 12, dos 18 Distritos eleitos, todavia no ano seguinte tudo parou devido a suspensão do apoio dos Parceiros de Cooperação no seguimento da descoberta das dívidas ilegais da Proindicus e MAM. Dos 580 milhões de meticais alocados no Orçamento de Estado de 2016 apenas 136,2 foram efectivamente desembolsados.

Em 2017 reiniciaram algumas obras. No Hospital Distrital que está a ser construído em Montepuez a obra avançou até 60 por cento de execução física. “Em fase de aplicação de azulejos, janelas e portas no bloco de atendimento externo e pintura; aplicação de betonilha nos corredores da maternidade; preparação da estrutura de cobertura no bloco da lavandaria e cozinha” indicava o Balanço do Plano Económico e Sociais.

A obra do Hospital Distrital de Mocímboa da Praia ficou “paralisada por falta de fundos, com 53 por cento de execução física”.

Na obra do Hospital Distrital de Cuamba foi somente concluído o bloco de Maternidade, “restante obra paralisada por falta de fundos”.

As obras do Hospital Distrital de Machaze foram suspensas “falta de orçamento”. Até a altura haviam sido executadas as alvenarias de todos os edifícios até a altura das empenas e foram feitos rebocos interiores e exteriores dos edifícios.

Sete hospitais distritais para concluir em ano eleitoral

No ano passado foram concluídos os Hospitais Distritais da Manhiça, na província de Maputo, e de Memba, na província de Nampula.

Foto da Presidência da RepúblicaAinda durante o ano de 2018 foram reiniciadas as obras nos Hospitais Distritais de Cuamba, Montepuez, Mocímboa da Praia, Macomia, Mopeia, Machaze, Jangamo, Macia e Fingoè, porém nenhuma delas foi concluída.

Mas para 2019, ano de eleições Gerais, Filipe Nyusi anunciou na Assembleia da República que: “Iremos ainda construir dez Hospitais Distritais e introduzir novos serviços especializados”.

“(...) Quero também partilhar aqui, é o nosso projecto a partir de 2019, vamos lançar um Programa extraordinário que se vai chamar um distrito um hospital distrital. Hospitais iguais aos que já fizemos na Macia, Monapo, Memba, esse vai ser o programa para todos os Distritos de forma progressiva”, prometeu em Dezembro passado durante a apresentação do seu Informe sobre o Estado da Nação.

Porém o @Verdade descortinou que o plano real do Executivo é terminar as obras dos Hospitais Distritais de Cuamba, no 1º semestre; Montepuez, até ao fim do ano; Mocímboa da Praia, até ao 3º trimestre; Macomia, , até ao fim do ano; Machaze, até ao 3º trimestre; Jangamo, até ao 3º trimestre; e Macia, até ao 3º trimestre. Portanto serão concluídos sete Hospitais, cujas obras iniciaram há 3 anos, e não os dez propalados pelo Chefe de Estado.

Plano Económico e Social para 2019

Outro desafio que o Presidente não refere, mas que é crucial para o funcionamento dos Hospitais, são os recursos humanos. Apesar de alguns milhares de funcionários estarem a ser contratados para a Saúde dados do Instituto Nacional de Estatística mostram que existem 1 médico (incluindo estrangeiros) para mais de 18 mil moçambicanos.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom