Faixa publicitária
Mundial Basquetebol 2019: Senegal derrota Moçambique; Inaki Garcia não tem contrato para restante apuramento
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 26 Fevereiro 2018
Share/Save/Bookmark

Foto da FIBA basketeballMoçambique entrou agressivo, abriu uma vantagem de 12 pontos mas faltou físico para ombrear com o Senegal que fez a cambalhota no marcador e venceu este domingo (25) por 60 a 52 pontos, igualando a nossa selecção no topo do grupo D da 1ª fase de apuramento para Campeonato do Mundo de 2019 em seniores masculinos. O @Verdade apurou que a nossa selecção está órfã de seleccionador já a partir desta segunda-feira (26), Inaki Garcia revelou que: “Eu só fui chamado para estes três jogos”.

Galvanizada pelas duas vitórias das jornadas anteriores, e pela derrota do Senegal na véspera diante da Costa do Marfim, a nossa selecção entrou agressiva para a quadra do quase lotado pavilhão do Maxaquene em Maputo.

Helton Ubisse inaugurou o placar com uma “bomba” que claramente enervou os adversários. O possante poste voltou a encestar e Ismael Nurmamade acertou outra “bomba”. Moçambique chegou aos 12 pontos em 6 minutos antes que o Senegal conseguisse marcar sequer 1 ponto.

Agressivos também a defender os moçambicanos dominavam o jogo e no ataque tudo parecia correr bem. Ismael voltou a acertar outra “bomba” e com o cronómetro a estourar Pio Matos Jr. acertou o seu primeiro triplo da noite levantando os adeptos que até começaram a cantar “a moleza, a moleza”, 5 a 18 vencia Moçambique. Parecia que o Senegal não era o “papão” que se esperava.

Pio alargou a vantagem, no início do 2º período antes de Inaki Garcia tira-lo para descansar, assim como Ismael, lançando para a quadra os irmãos Novela. Helton dava segurança mas também marcava. Elves Ouana também encestou uma “bomba” antes da nossa selecção começar desperdiçar ataques.

O Senegal mudou o seu esquema táctico, passou a defender homem a homem pressionando à saída da nossa quadra e começou a somar pontos reduzindo a desvantagem para 24 a 32 pontos, embora Pio tenha voltado a encestar outra “bomba” antes do descanso.

Senegal mostra porque é favorito

O intervalo não fez bem a Moçambique que viu o Senegal abrir as hostilidade com uma “bomba”. Enquanto a nossa selecção desperdiçava ataques os senegaleses reduziram a desvantagem com 3 minutos depois tinham empatado a partida a 32 pontos.

Foto da FIBA basketeballO seleccionador nacional pediu um desconto de tempo, o público gritava “moral moral” mas os nossos rapazes estavam visivelmente nervosos e embora tenham voltado para a frente do placar perderam Custódio Muchate que somou a sua quinta falta.

Já nem Pio ou Ismael conseguiam carregar Moçambique e o Senegal fez a cambalhota no marcador. O nervosismo era tanto que após um bom roubo de bola David Canivete Jr isolado no garrafão contrário teve receio de afundar e quando lançou foi bloqueado.

Hélton Ubisse usava todo o seu porte e deu nova vantagem a nossa selecção, mesmo depois dos senegaleses voltarem e empatar, garantiu liderança de 2 ponto no término do 3º período.

O regresso para o derradeiro período começou com Moçambique a falhar e o Senegal a empatar e depois voltar a comandar o marcador. Uma “bomba” de Elves Ouana deu algum alento mas os adversários responderam com outro e Pape Badji, com um afundanço, mostrou a disposição dos senegaleses.

Helton continuava a ser o único com a pontaria certeira mas com 3 minutos para o final uma “bomba” de Xane Dalmeida deu nova vantagem ao Senegal que, enquanto Inaki Garcia tentava parar a partida com um desconto, dilatou o marcador.

O seleccionador lançava os irmãos Novela quando Moçambique defendia e trocava-os por Pio e Ismael quando era para atacar, mas os cestos teimavam em não cair e o Senegal consumou o seu estatuto de favorito.

“Eu só fui chamado para estes três jogos” seleccionador nacional

Inaki Garcia explicou após a derrota que “(...) os nossos postes que estavam a controlar o jogo começaram a ter problemas de faltas, Custódio Muchate acabou mesmo desqualificado com 5 faltas. Faltas duvidosas, as duas últimas são muito duvidosas”.

“A solidez que Custódio, Hélton e Inelcio Chire estavam a dar falhou, depois cometemos muitos erros no 3º período de não parar o balanço defensivo deles. Estava ver também a pernas a faltarem aos meus jogadores e tive que trocar para uma defesa um pouco mais conservadora e Dalmeida mostrou o perfume que tem de bom jogador e em três acções de 3 pontos mudou o jogo” acrescentou o espanhol que veio treinar a nossa selecção.

Com esta derrota, e duas vitórias, a nossa selecção ficou com 5 pontos, os mesmo do Senegal que lidera o grupo D, seguida pela República Centro Africana, que venceu a Costa do Marfim, e ambas somam 4 pontos.

Moçambique precisa de vencer pelo menos mais uma partida na 2ª volta desta 1ª eliminatória de apuramento, que vai ser jogada entre 29 de Junho e 1 de Julho próximos no Senegal, para assegurar um lugar na próxima eliminatória.

Foto da FIBA basketeballEntretanto, num país em que muitos propalam que “a vitória prepara-se”, a qualificação da selecção sénior masculina não está a ser preparada pela Federação Moçambicana de Basquetebol.

Inaki Garcia revelou ao @Verdade que foi contratado apenas para estas 3 partidas: “Tenho de agradecer ao meu clube em Portugal, o Lusitânia, por me ter deixado sair depois de termos jogado contra o FC Porto não era fácil. De facto amanhã parto pela manhã e à noite já estarei a treinar”.

Questionado pelo @Verdade quando regressa para preparar a selecção para a próxima volta de qualificação o espanhol afirmou que: “isso depende da Federação. Eu estou disponível”.

“Não tenho nenhuma data (para regressar), até porque não tenho contrato para essa etapa (em alusão a 2ª volta que Moçambique vai disputar no Senegal em Junho e Julho próximos). Eu só fui chamado para estes três jogos”, explicou o espanhol que considera o nosso país a sua segunda pátria.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom