Faixa publicitária
China perdoa 36 milhões de dólares da dívida de Moçambique que ultrapassa os 2 biliões de dólares
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 06 Novembro 2017
Share/Save/Bookmark

@VerdadeA China anunciou recentemente o perdão parcial da dívida do nosso país no valor 239,26 milhões de yuans (cerca de 36 milhões de dólares ao câmbio do dia). Na verdade o perdão refere-se a juros vencidos que deveriam ser pagos até ao final do ano. O @Verdade descobriu que até ao final de 2016 Moçambique devia ao país asiático mais de 2 biliões de dólares norte-americanos... mas o Governo de Filipe Nyusi continuam a aumenta-la e a gastar o dinheiro quase só em Maputo, onde afinal a ponte Maputo – Katembe e da estrada Circular de Maputo custam mais de 1 bilião de dólares.

O apoio da China ao nosso país remota à Luta de Libertação nacional, contudo desde nos últimos 17 anos as doações transformaram-se em empréstimos principalmente para investimentos megalómanos e de duvidosa necessidade para os moçambicanos.

A ponte Maputo – Katembe, o novo edifício da Presidência da República, o estádio nacional de Zimpeto, o novo aeroporto de Mavalane, a Migração Digital são alguns dos mais vistosos resultados desta relação aparentemente desinteressada do chineses que, aparentemente, desde que as empresas do seu país executem as obras não impõem outras grandes condições a Moçambique, como por exemplo o fazem o Fundo Monetário Internacional e os Parceiros de Cooperação ocidental.

Oficialmente o Executivo de Nyusi assim como o de Xi Jiping não revelam qual é o montante nem quais são as condições do serviço da dívida que o @Verdade apurou que totalizava, a 31 de Dezembro de 2016, 120.922952.000 de meticais (cerca de 2.015.382.533,33 dólares norte americanos), de acordo com os relatórios da Conta Geral do Estado de 2016.

Nem mesmo no passado dia 26, quando foi formalizado o perdão dos juros da bilionária dívida que o nosso pais tinha de pagar este ano, a vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Nyeleti Mondlane, e o embaixador da China, em Moçambique, Su Jian, quiseram precisar o valor em dívida que se soma a cada vez mais insustentável Dívida Pública.

Relatório de execução do Orçamento do Estado de 2016

O @Verdade apurou que a dívida com a China é oficialmente a segunda maior que Moçambique tinha à data para um único credor, apenas superada pelos 182.148.615.000 meticais(pouco mais de 3 biliões de dólares) devidos a Associação de Desenvolvimento Internacional (IDA), uma instituição do Banco Mundial.

Afinal a ponte Maputo – Katembe e a estrada Circular de Maputo custam mais de 1 bilião de dólares

Mas esse montante em dívida não parece preocupar o Executivo de Filipe Nyusi que este ano, daquilo que foi publicamente possível apurar pelo @Verdade, já contraiu novos empréstimos à China nomeadamente para a construção do pouco viável aeroporto no Xai-Xai. Fez parte dos acordos rubricados por Nyeleti Mondlane e Su Jian a formalização de um primeiro empréstimos de 15 milhões dos pelo 50 milhões de dólares norte-americanos que à esta altura estão orçamentados para a nova megalomania.

Foram também adicionados à dívida contabilizada a 31 de Dezembro de 2016 mais 156 milhões de dólares americanos que estão a ser usados na facultativa Migração Analógica para Digital. O @Verdade sabe que outros milhões deverão juntar-se à esta factura pois a Televisão de Moçambique tem recebido não só meios técnicos como ainda vai ganhar uma novo centro de produção cujo orçamento não é publicamente conhecido.

O antigo embaixador de Moçambique na China, Aires Aly, revelou a TVM que mais alguns biliões de dólares de investimentos chineses irão acontecer como resultado da viagem que o Presidente Nyusi efectuou ao país asiático. Mais uma ponte sobre o rio Rovuma, um porto em Techobanine ou o pipeline de gás Norte - Sul não serão propriamente as imperativas necessidades para um povo que não tem acesso a água, escolas ou saúde.

Mas além da duvidosa necessidade para os moçambicanos dos investimentos financiados pela China são também nebulosos os valores efectivamente envolvidos em cada um dos empréstimos. A título ilustrativo a ponte entre a cidade de Maputo e o distrito municipal de Katembe é oficialmente orçada pelo Governo do partido Frelimo em 725 milhões de dólares.

Contudo o @Verdade apurou, num trabalho de académicos da William and Mary College dos Estados Unidos da América, que criaram uma metodologia para seguir fluxos financeiros não reportados a partir da China, que o valor contabilizado pelo país asiático pela ponte Maputo – Katembe é de 756.567.361 de dólares norte-americanos aos quais se adicionam outros 317.710.630 milhões de dólares para a estrada Circular de Maputo.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 2
FracoBom