Faixa publicitária
Instituições do Estado devem mais de 2 biliões de meticais à Electricidade de Moçambique
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  em 10 Agosto 2017
Share/Save/Bookmark

Foto de Adérito CaldeiraA dívida dos clientes da Electricidade de Moçambique(EDM) triplicou entre 2015 e 2016, embora mais de metade seja da Zâmbia Electricity Supply Corporation (ZESCO) perto de 2 biliões correspondem a facturas não pagas por várias instituições do Estado com destaque para o Ministério da Defesa, o Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água, os Aeroportos de Moçambique, a Rádio Moçambique, as Administrações Distritais ou o Ministério da Saúde.

Ao longo dos anos diversos clientes da EDM, com particular destaque para a Zimbabwe Electricity Supply Authority(ZESA) e instituições do Estado, têm atrasado o pagamento das suas facturas de consumo de energia.

O @Verdade apurou nos Relatórios e Contas da estatal de energia moçambicana que o saldo dos clientes, que em 2013 rondava os 388 milhões de meticais, triplicou no ano seguinte, para pouco mais de 995 milhões de meticais, e voltou a triplicar em 2015, atingindo os 3,1 biliões de meticais.

No entanto, entre 31 de Dezembro de 2015 e o último dia do ano passado, essas dívidas dos clientes da Electricidade de Moçambique novamente triplicaram cifrando-se em 9,7 biliões de meticais.

O @Verdade já revelou que 6,1 biliões de meticais desse montante correspondem a dívida acumulada pela ZESCO, o que até ditou a interrupção do fornecimento de energia ao país vizinho, e outros 614 milhões são relativos a dívida que o Zimbabwe tem sido incapaz de amortizar.

Presidente Nyusi mandou cobrar as dívidas das instituições do Estado

Entretanto o @Verdade revela que 2.069.948.400 meticais é dívida acumulada de “consumidores domésticos” da Electricidade de Moçambique, que em 2015 já deviam cerca de 1,6 bilião de meticais.

Entre os maiores devedores domésticos constam o Ministério da Saúde, o Ministério da Defesa, o Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água, os Aeroportos de Moçambique, a Rádio Moçambique e as Administrações Distritais, revelou em exclusivo ao @Verdade o director de Economia e Finanças da EDM, Getá Remígio Manuel Pery.

O @Verdade sabe que durante a visita que o Presidente Filipe Jacinto Nyusi realizou ao Ministério da Energia e Recursos Minerais e instituições tuteladas, como a EDM, em meados de Fevereiro último, deixou instruções para que as dívidas fossem cobradas.

Constam ainda da lista de clientes com contas por saldar na Electricidade de Moçambique, a que o @Verdade teve acesso com exclusividade, a Botswana Power Corporation (329.475.193 meticais), a Aggreko Moçambique Limitada (597.773.120 meticais), a Kenmare Moma Processing (66.420.484 meticais), a Lesotho Electricity Company (39.230.428 meticais), as Minas de Benga (23.910.564 meticais), MCM Indústrias Texteis (24.675.607 meticais), o Corredor Logístico de Nacala (18.137.632 meticais) e outros clientes com dívidas menores.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom