Faixa publicitária
Estupros e violência doméstica mancham trabalho do Ministério da Saúde nas festividades do Dia da Família
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Saúde e bem Estar
Escrito por Redação  em 29 Dezembro 2016 (Actualizado em 02 Janeiro 2017)
Share/Save/Bookmark

As “súplicas” do Ministério da Saúde (MISAU), nas véspera do Dia da Família, no sentido de os pais e encarregados de educação protegerem as crianças contra eventuais predadores sexuais foram em vão. O número de vítimas de estupro e violência doméstica disparou na terceira semana de Dezembro, comparado com igual período do ano passado.

De 20 a 26 de Dezembro de 2015, houve registo de 55 casos de violação sexual, contra 79 este ano, segundo Elina Amado, diretora nacional adjunta de Assistência Médica. Trata-se de uma subida de 44%.

Relativamente à violência doméstica, o número de vítimas passou de 116, em 2015, para 136, neste ano. Os dados representam um aumento de 16%, comparativamente a igual período do ano transacto.

Entretanto, aquela instituição do Estado renovou, durante a apresentação do balanço das suas actividades no período acima indicado, o apelo aos pais e à sociedade em geral para que redobrem a atenção com as crianças.

Nas vésperas do Dia da Família, a diretora nacional adjunta de Assistência Médica lançou a seguinte súplica: “Pedimos que haja protecção das crianças e não podemos perpetuar estas situações [violações sexuais]”.

Na ocasião, a dirigente recordou que os casos de abuso sexual contra as meninas, de 2015 para 2016, aumentaram de 93 para 113.

Nesta terça-feira (27), ela voltou a lançar o mesmo apelo: "exortamos aos responsáveis pelas crianças para que, nesta época em especial, tenham maior controlo", pois a o abuso sexual, por exemplo, tem consequências graves na vítima.

Contudo, os casos de pessoas envolvidas em acidentes viação e assistidas em diferentes unidades sanitárias do país reduziram em 12%. Ou seja, de 1.164, no ano passado, para 1.019, em 2016.

No total, os hospitais atenderam 4.584 pacientes, dos quais 26 perderam a vida.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom