Faixa publicitária
Peste suína africana atinge Maputo, Inhambane e Niassa
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Saúde e bem Estar
Escrito por Correio da Manhã  em 24 Junho 2014
Share/Save/Bookmark

As províncias de Maputo, Inhambane e Niassa estão a ser assoladas pela chamada peste suína africana, doença que está a dizimar grande parte dos efectivos suínos criados naquelas zonas para a sua comercialização.

Em Inhambane, por exemplo, a produção de carne suína reduziu para 117 toneladas em 2013, contra pouco mais de 123 toneladas do ano anterior, segundo balanço divulgado pelo governo local, apontando a ocorrência daquela doença animal como a razão da sua redução.

A maior parte da produção de carne suína, em Inhambane, é assegurada por famílias sem meios de prevenção de vírus e nem de condições para montar sistemas de biossegurança, salienta fonte documental do governo local.

Entretanto, apesar das dificuldades existentes para estancar a propagação deste tipo de peste, o governo de Inhambane aposta na inten- sificação das campanhas de sensibilização dos produtores sobre as maneiras de prevenção, realça a mesma fonte.

Frango também em queda Por outro lado, a produção de frango reduziu para 517 toneladas em 2013, contra perto de 613 do ano anterior, acrescenta o documento, apontando o aumento do volume de importação de frango congelado como uma das razões que desencoraja os produtores locais de se dedicarem àquela actividade.

No que respeita à produção de carne bovina, esta aumentou para 377 toneladas em 2013, representando um incremento de 10,6%, comparativamente ao ano anterior.

No global, a província de Inhambane produziu 1047 toneladas de carne suína, caprina e bovino ao longo de 2013, salienta a mesma fonte, apontando a aposta em acções de melhoramento do maneio sanitário como uma das actividades em curso para aumentar os seus níveis produtivos neste ano de 2014.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom