Faixa publicitária
Bilharziose - Infecção de parasitas
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Saúde e bem Estar
Escrito por Redação  em 17 Novembro 2008 (Actualizado em 23 Novembro 2008)

É uma doença muito frequente no nosso país, existindo algumas regiões onde está muito espalhada. Em Moçambique existem dois tipos de Bilharziose: aquela que ataca o aparelho urinário (a parte do corpo que produz urina) e é conhecida por Bilharziose Urinária ou Vesical. A outra ataca os intestinos (tripas) sendo conhecida por Bilharziose Intestinal.

É uma doença que enfraquece a pessoa e pode levar a graves complicações, tais como:

• Esterilidade (ter problemas para dar fi lhos),

• Doença do fígado procando hemorragias graves com vómitos de sangue,

• Cancro da bexiga, que não tem cura,

• Mesmo a morte.

Como se manifesta a doença?

Quando esta doença aparece o doente tem as seguintes manifestações:

• Dores ao urinar,

• Saída de sangue na urina ou nas fezes ou pela boca, em casos mais graves em que ataca o fígado,

• Pode ter febres,

• Em alguns casos pode provocar saída da urina sem a pessoa querer,

• Nos casos mais graves, a barriga pode inchar e a criança emagrece e acaba morrendo se não for tratada. Esta doença atinge sobretudo crianças devido aos seus hábitos de brincar, nadar ou pescar em lagoas, lagos, rios e riachos, e, portanto, toda a criança que urinar ou defecar sangue deve ser levada imediatamente ao Centro de Saúde mais próximo.

 

Como se apanha esta doença?

Para apanhar esta doença, é necessário que as pessoas doentes eliminem ovos do micróbio em lagoas, lagos, pântanos ou rios e nesses lugares haja caracóis pequenos onde os micróbios se desenvolvem. Ou seja, os ovos eliminados pela urina ou fezes do doente em contacto com a água, rebentam e libertam uns bichinhos muito pequenos, que entram nos caracóis. Estes caracóis são muito pequenos têm o tamanho de uma unha e não são iguais aos caracóis comuns que vemos fora da água.

Dentro dos caracóis esses bichinhos vão-se desenvolver, e algumas semanas depois, abandonam os caracóis, passam a chamar-se cercárias e fi - cam a nadar nas águas. São esses micróbios (cercárias) que vão entrar no Homem através da pele, quando ele entra nessas águas.

Uma vez dentro do corpo do Homem, eles vão-se dirigir para o aparelho urinário, onde crescem e novamente põe ovos, que serão eliminados pela urina ou fezes, reiniciando o ciclo.

A presença do caracol é fundamental para a vida dos micróbios, pois sem eles não se podem desenvolver. Esses caracóis gostam de viver em águas paradas ou com pouco movimento, onde há luz do sol, e perto das vegetações que crescem nas margens das lagoas, dos lagos, dos pântanos ou dos rios.

Os caracóis com o micróbio libertam muitos bichinhos (cercárias) por dia, principalmente entre as 9 e 16 horas, que são as horas mais quentes do dia. Esses bichinhos sobrevivem, na grande maioria, durante apenas algumas horas.

É por isso que uma das maneiras de evitar a bilharsioze, particularmente naqueles lugares suspeitos (onde há muitos caracóis), é preciso só tomar banho e lavar a roupa fora da água dos rios, lagos ou lagoas, porque esses bichinhos penetram na pele muito rapidamente, o que signifi ca que mesmo que as pessoas permaneçam nos lugares suspeitos por apenas alguns minutos, existe sempre o perigo de se infectarem.

Como devemos evitar esta doença?

• Não fazer necessidades maiores ou menores no rio, lago ou lagoa ou perto destes locais;

• Se tiver condições de construir uma casa de banho com autoclismo, faça-o. Deve-se lembrar de que este tipo de casas de banho exige que se tenha água corrente ou recipientes com água, de forma a manter a higiene da sanita (deitar água sempre que fi zer necessidades maiores ou menores),

• Se não tiver condições para ter uma casa de banho com autoclismo, construa uma latrina e use-a sempre bem (mantê-la sempre fechada),

• Eliminar as moscas pendurando sacos de plástico com água à entrada da casa.

• As pessoas que são obrigadas a utilizar os lugares suspeitos devem procurar fazê-lo cedo, pela manhã (antes das 9 horas) ou no período da tarde;

• Tratar a água para beber ou purifi cá-la;

• Devemos evitar pôr o nosso corpo durante muito tempo dentro destas colecções de água. Quando quisermos tomar banho num rio, lago ou lagoa, devemos arranjar uma pedra, pôr os pés em cima dela e ir despejando a água com uma lata por cima do nosso corpo. Quando quisermos lavar a roupa, devemos tirar um bocado de água para uma selha, uma bacia ou um balde e lavar a roupa nas margens;

• Devemos evitar que as nossas crianças brinquem dentro da água, pois assim é quase certo vão apanhar bilharziose;

• Construir poço próximo do rio para tirar água de beber,

• Nos charcos grandes de água ou pequenas lagoas, devemos tentar criar peixes (tilápias) que se alimentam dos micróbios (cercárias).

 

TRATAMENTO DOS DOENTES

A bilharziose é uma doença que tem tratamento e por isso, as pessoas que urinam e defecam sangue devem ir imediatamente ao Centro de Saúde.

CONSELHOS ÚTEIS

• Usar a latrina ou casa de banho para fazer necessidades maiores ou menores;

• Deitar água sempre depois de fazer necessidades maiores e menores;

• Tomar banho fora dos lagos, lagoas, rios ou outras colecções de água;

• Lavar a roupa fora dos lagos, lagoas, rios ou outras colecções de água;

• As pessoas com esta doença devem ir ao Centro de Saúde mais próximo para serem tratadas;

• Avisar o Centro de Saúde dos lugares suspeitos de bilharziose.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 31
FracoBom