Faixa publicitária
Faleceu o cineasta José Cardoso
Opinião - OBITUÁRIO
Share/Save/Bookmark

Faleceu na madrugada desta sexta-feira, 4 de Outubro, o célebre realizador ‘moçambicano’, José Cardoso, vítima de doença. José Cardoso nasceu em Figueira de Castelo Rodrigo, numa aldeia do Norte de Portugal, a 6 de Abril de 1930, tendo perdido os pais muito cedo, ficou a cargo de familiares e, com estes, veio para Moçambique em 1939.

De 1939 a 46, dividiu a sua adolescência pelos anos de estudo primário, no Instituto Mouzinho de Albuquerque na Namaacha, pelo Secundário na Escola Comercial e Industrial Sá da Bandeira, em Lourenço Marques, e pelo trabalho que começou aos 14 anos, como praticante na farmácia Central. Em 1946 decidiu tornar-se independente e rumou à Beira, onde completou a adolescência e tornou-se homem, trabalhando na farmácia Graça. Foi nessa cidade que conheceu Laura, com quem casou em 1957 e de quem viria a ter três filhos João, Luís e Alexandre.

A paixão pelo cinema ocupava os seus tempos livres em favor de uma arte que o atraía. Foi fundador do Cine-Clube da Beira, onde se iniciou no estudo da arte e da técnica cinematográficas e na produção de filmes. Em 1976 aceitou o convite que lhe foi feito pelo Instituto Nacional de Cinema (INC) para ingressar nos seus quadros técnicos como profissional e rumou para Maputo onde trabalhou, primeiro, como director de produção e depois como realizador, deixando para trás, na Beira, a delegação do INC que organizou, e o embrião do projecto de Cinema Móvel, que se pensava estender a todo o país.

Por razões alheias à sua vontade, viu-se na contingência de abandonar o INC, que entretanto fora consumido pelas chamas de um incêndio, obrigando-se a constituir uma empresa de produção de filmes, em parceria com outros profissionais e amigos e os dois filhos mais velhos.

Posteriormente criara com os filhos, uma nova empresa, a “Publicita”, que ainda se mantém e é, por mérito deles e de quem nela trabalha, o suporte económico da sua e de outras famílias que a ela se vinculados.

Dedicou-se também à escrita, prosa e poesia, tendo publicado em 2007 o livro de crónicas “O Curandeiro Branco” deixando no prelo 3 volumes de “Memórias” e o livro de contos “Mangachana, a feiticeira e outras histórias”.

Obras de José Cardoso

De entre os inúmeros filmes por si realizados destacam-se:

1966 – “O Anúncio”, ficção 8 mm. Galardoado em Aveiro, Paris, Beira, Rio Maior, Lobito e Porto.

1968 – “Raízes”, ficção 8 mm. Galardoado no Porto e em Aveiro.

1969 – “Pesadelo”, ficção 8 mm. Galardoado em Guimarães e Luxemburgo.

1982 – “Canta Meu Irmão, Ajuda-me a Cantar”, documentário longa-metragem 16 mm. Galardoado em Aveiro, Taskent e Maputo.

1984 – “Frutos da Nossa Colheita”, ficção 16 mm. Galardoado em Maputo.

1986 – “O Vento Sopra do Norte”, ficção, longa-metragem, 16 mm.

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom