Faixa publicitária
6 óbitos de cólera e 3 por diarreias no Centro de Moçambique
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 09 Abril 2019
Share/Save/Bookmark

Enquanto as autoridades mantém em 602 o número de vítimas mortais do Ciclone IDAI e das cheias que seguiram no Centro de Moçambique as doenças diarreicas decorrentes da falta de água potável e do saneamento inexistente continuam a fazer vítimas. Oficialmente morreram apenas seis dos mais de 3 mil doentes com cólera tratados nos últimos 12 dias na província de Sofala, no entanto pelo menos três pessoas morreram em Tete padecendo de diarreias e vómitos.

Os óbitos aconteceram no domingo (07) em Luenha, sede do Distrito de Changara, na Província de Tete onde existem ainda 14 pessoas em tratamento de acordo com o director do serviço distrital de Saúde, Mulher e Acção Social, Guilherme Panda, que disse que “por enquanto não há cólera, são apenas diarreias e vómitos”, acrescentado que amostras foram enviadas para análise laboratorial da existência ou não do vibrião colérico.

A confirmar-se irá alargar da Província de Sofala para Tete o surto de cólera registado pela primeira vez a 27 de Março na cidade da Beira. Desde então, e até a manhã de segunda-feira (08), foram tratados 3.577 doentes dos quais seis oficialmente perderam a vida pela doença, 94 são os pacientes internados.

De acordo o Director Nacional de Assistência Médica, Ussene Isse, a campanha e vacinação contra a cólera decorre a bom ritmo, 84 por cento das 884 mil doses foram administradas na província de Sofala até domingo (07). Existe ainda um registo de 7.124 casos de malária, que não originaram ainda nenhuma vítima mortal.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom