Faixa publicitária
Mulher é estuprada e assassinada na Matola
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 17 Janeiro 2019
Share/Save/Bookmark

Uma mulher de pouca idade foi encontrada sem vida dentro de uma casa em construção, no bairro da “Machava 15”, no município da Matola. O corpo apresentava sinais de violação sexual e a família suspeita que a filha foi assassinada, presumivelmente para não denunciar o(s) abusador(es).

O crime aconteceu no quarteirão 13 e a vítima tinha apenas 18 anos de idade. Para além da roupa da rapariga, no local havia sangue e acreditava-se ser da mesma vítima.

O suspeito é o namorado e vizinho da malograda, cujo o paradeiro é desconhecido desde a ocorrência da tragédia, segundo testemunhas.

De acordo com a família, a jovem manteve o último contacto telefónico com o pai na noite do último domingo (13), quando ele perguntou sobre o localização da filha. Esta alegou que estava com uma amiga.

Num dos compartimentos da referida casa em construção, onde o cadáver foi achado, tinha sido aberta uma cova, na qual a finada seria supostamente enterrada.

A Polícia da República de Moçambique (PRM) disse que já está a par do caso e trabalho no sentido de esclarecê-lo.

Segundo Fernando Manhiça, porta-voz do Comando Provincial da PRM em Maputo, para além deste episódio descrito como horrendo, dois indivíduos encontram-se detidos, acusados de abusar sexualmente de duas crianças.

Os estupros ocorreram no distrito de Boane. Para lograrem os seus intentos, os indiciados, um dos quais refuta o crime, aliciaram as vítimas com dinheiro e pão.

Um dos casos aconteceu em Mahubo. Acusado é um jovem de 30 anos de idade, que assumiu ter estuprado uma menina de 13 anos, há dias, mas achava que o assunto estava encerrado, pois ofereceu 3.000 meticais à família da vítima, a pedido da mesma.

Porém, a mãe da miúda alegou que as declarações do suposto estuprador são falsas, porquanto nunca recebeu dinheiro para acobertar um crime que fere, de todo em todo, a honra a própria filha.

Fernando Manhiça disse que a ofendida foi levada ao hospital e os exames confirmaram que houve violação sexual

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom