Faixa publicitária
Reclusos testam eficácia da segurança no comando da cidade de Maputo e fogem
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Emildo Sambo  em 21 Março 2018
Share/Save/Bookmark

Três reclusos que cumpriam penas não especificadas testaram a segurança das celas da Cadeia de Máxima Segurança, vulgo B.O, anexas ao Comando da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Cidade de Maputo, e fugiram. Até ao fecho desta edição, eles continuavam em parte desconhecida.

Não é a primeira vez que prisioneiros fogem das celas daquelas instalações que têm estado permanentemente vigiadas, para além de o acesso e a saída de gente ser controlado.

Contudo, informações em poder do @Verdade indicam que os fugitivos não escalaram o muro de vedação, mas sim, caminharam até onde acharam que já podiam sumir.

Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da PRM, pronunciou-se com reservas, na terça-feira (20), sobre o “Prison Break” em alusão, tendo afirmado que “há um grupo de agentes da Polícia suspeitos de terem facilitado a evasão”.

Por isso, a detenção dos acusados de conivência com bandidos foi legalizada, disse o policial sem no entanto avançar pormenores. Segundo ele, todos os policiais que “estavam encarregues de guarnecer as celas” de onde os bandidos fugiram.

Perante a insistência de jornalistas, Dina disse que não podia se alongar nos depoimentos sobre este assunto para não atrapalhar a investigação.

Recorde-se que, em 2015, dois indivíduos que respondiam pelos nomes de Fernando Chambe e Gilberto Mavie e o outro cuja identidade não foi revelada na altura pela PRM também fugiram da B.O. Um oficial de segurança foi acusado de facilitar a fuga, por isso, ele foi privado de liberdade.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom