Faixa publicitária
Casal detido por tentativa de venda do filho albino em Tete
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 25 Maio 2017
Share/Save/Bookmark

Um casal está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM) em Tete, acusado de tentativa de venda do próprio filho de dois anos de idade, com problemas de albinismo, por quatro milhões de meticais, em conluio com cinco indivíduos, supostamente por si contactados.

Segundo as autoridades policiais, o casal viajou do distrito de Dôa para o de Moatize, para concretizar o negócio, pois acreditava que era onde se encontravam possíveis e potenciais compradores.

Os cinco intermediários receberiam cada 50 mil meticais de gratificação, conforme contaram à imprensa e aos agentes da Lei e Ordem.

Igual valor seria usado para pagar uma dívida contraída durante o lobolo pelo pai da vítima e o restante era para ser aplicado num negócio, uma vez que o casal aspirava a empresário.

Um dos cinco indivíduos que intermediavam a venda do miúdo confirmou que tanto ele como os supostos comparsas foram contactados pelo casal. “Eles [os pais] entregaram-nos a criança para vender” e ainda exigiram que o assunto fosse tratado com maior urgência possível de modo a evitar que alguém roubasse o miúdo, supostamente porque tratando-se de um albino há muita gente a cobiçá-lo.

Um outro detido em conexão com o caso em questão afirmou que o rapaz passou de mãos em mãos porque ninguém estava interessado em comprá-lo, até que a decisão foi tentar baixar o preço caso houvesse um interessado.

O pai da criança refutou as acusações que pesam sobre si, alegando que as pessoas contactadas para agilizar o negócio, bem como a Polícia estão a faltar à verdade. Em nenhum momento “pensámos em vender o nosso filho”.

De acordo com ele, a sua deslocação a Moatize tinha em vista a pesca. Porém, ele a mulher ficaram surpresos ao serem interpelados e detidos pela Polícia.

Lurdes Ferreira, porta-voz do Comando Provincial da PRM em Tete, disse que caso o negócio tivesse saído conforme o planeado, os progenitores da criança pretendiam mudar-se para a cidade da Beira.

Refira-se que uma criança albina de cinco meses de vida, do sexo feminino, desapareceu das vistas da mãe, durante duas horas, na última sexta-feira (19), na cidade da Beira, província de Sofala, facto que levou a Polícia da República de Moçambique (PRM) a presumir que se tratou de um rapto. Em conexão com este caso, um jovem de 22 anos de idade encontra-se privado de liberdade.

A bebé sumiu quando a mãe se encontrava a atender clientes na sua barraca instalada num mercado informal, na zona de Massamba.

O acusado, sem nenhuma relação de amizade ou de parentesco com os pais da criança, responde pelo nome de João José e está a ver o sol aos quadradinhos no Posto Policial no. 3, no bairro dos Pioneiros.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom