Faixa publicitária
Incêndio destrói barracas e bancas no mercado de Xipamanine em Maputo
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Intasse Sitoe  em 25 Agosto 2015
Share/Save/Bookmark

Após um violento incêndio, que em 2003 destruiu pelo menos de 30 lojas no mercado Xipamanine, o maior da capital moçambicana, decorridos 12 anos, um outro fogo de grandes proporções voltou a consumir por completo 29 bancas e oito barracas, na noite do passado domingo (23). Aliás, a tragédia repetiu-se também em 2013, em que uma residência e um dos maiores depósitos de roupa usada e nova, calçado e cortinado foram devorados pelas chamas.

São escassas as informações sobre o sinistro, mas David Cumbane, porta-voz do Serviço Nacional de Salvação Pública (SENSAP), disse que os vendedores supõem que o fogo tenha tido início numa das barracas no sector de venda de remédios tradicionais. Porém, na verdade, “as causas deste incêndio são desconhecidas. Há investigações em curso no sentido de esclarecer o caso”.

A par do que aconteceu 2003, nesta última desgraça não houve, felizmente, nenhuma vítima. Na altura, testemunhas disseram que o incêndio, extinto em horas, tinha sido provocado por uma vela acesa, que um rapaz deixara cair num pano por descuido, no interior de uma das lojas. Mais tarde, os bombeiros concluíram ter havido um curto-circuito.

Numa noite de Setembro de 2013, outro incêndio de grandes proporções consumiu uma residência e um dos maiores depósitos de roupa usada e nova, calçado e cortinado do mercado do Xipamanine. Houve avultados danos materiais e muitas famílias ficaram na desgraça.

Foram lesados mais de três centenas de vendedores informais que no final de cada dia de trabalho guardavam regularmente os seus bens na instalação reduzida a cinzas. As chamas só foram debeladas quatro horas depois.

Refira-se que  o mercado do Xipamanine, um dos mais emblemáticos da capital moçambicana, vai ser requalificado, de acordo com a promessa da edilidade. O plano, anunciado pelo presidente do Conselho Municipal de Maputo, David Simango, visa requalificar todo o mercado, tanto a zona formal como a informal, prevendo-se também a construção de edifícios para habitação.

Entre outros aspectos, a equipa de arquitectos está a estudar os moldes em que as diversas intervenções, no âmbito da requalificação, vão ser feitas.

A concretizar-se, a requalificação vai fazer com que os vendedores e compradores do Xipamanine se sintam bem, contrariando a actual situação, em que a actividade comercial é feita de forma desorganizada, e, em alguns casos, sem condições higiénicas.

Durante a semana passada, o corpo de salvação pública registou dois incêndios. Um deles aconteceu numa gasolineira na província de Nampula, tendo causado um óbito e dois feridos graves. O outro deu-se numa residência erguida com base em material convencional, no bairro Muelé, em Inhambane. A casa foi completamente reduzida a cinzas.

As autoridades estão a averiguar as reais causas destes acidentes, segundo David Cumbane, que reiterou o apela à sociedade para não fazer ligações improvisadas de energia eléctrica. Ele advertiu também que se deve utilizar aparelhos eléctricos segundo as indicações do fabricante e, caso ocorra um incêndio ou outro tipo de acidente, é preciso contactar de imediato os bombeiros, a qualquer momento, através do número 82198, cuja chamada é gratuita.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom