Faixa publicitária
Moradores da Katembe queixam-se ao Parlamento, ponte beneficia aos turistas
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Nacional
Escrito por Redação  em 27 Maio 2019
Share/Save/Bookmark

Os moradores do Distrito Municipal da Katembe “sentem que a ponte não veio beneficiar aos moradores, mas sim aos turistas” e pedem à Assembleia da República que interceda junto do Governo para que a taxa de portagem tenha uma redução de 75 por cento.

Após ouvirem respostas negativas da extinta Empresa Maputo-Sul e do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos os moradores do Distrito Municipal da Katembe recorreram à Comissão de Petições, Queixas e Reclamações da Assembleia da República (AR) na expectativa que possam usufruir da megalómana ponte sobre a baía de Maputo pois consideram que os 160 Meticais que lhes é cobrado está “aquém das suas possibilidades”.

Mesmo a redução adicional de 20 por cento, caso efectuem pelo menos 61 viagens na ponte, é considerada irrisória pelos moradores da Katembe que pedem um desconto idêntico ao que é dado aos transportes semi-colectivos de passageiros e tractores, que é de 75 por cento do preço da portagem, pagando apenas 40 Meticais para todas as classes de veículos.

“Desgastados, os peticionários sentem que a ponte não veio beneficiar aos moradores da Ketembe, mas sim aos turistas. Ademais, consideram que ao manter o mesmo preçário o actual para o utente que diariamente precisa de usar a ponte, o Governo remete à estes, o pagamento pela construção da ponte”, pode-se ler no relatório apresentado semana passada pela 8ª Comissão à plenária do Parlamento.

Diante da posição do Fundo de Estradas e do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, que consideram as portagens “sustentáveis” para os moradores embora estejam longe de cobrir os custos de manutenção e nem de longe serem suficientes para o serviço da dívida, a Comissão de Petições, Queixas e Reclamações da AR pretende ouvir o ministro da Economia e Finanças antes de tomar uma posição sobre a petição.

Inaugurada em Novembro do ano passado a ponte Maputo – Katembe vai custar pelo menos 1,3 bilião de Dólares norte-americanos a serem pagos à China. As tarifas normais de portagem variam entre os 160 Meticais, para ligeiros, 320 Meticais, para classe II, 750 Meticais, para os classe III, e 1.200 Meticais, para os camiões de grande tonelagem.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom