Faixa publicitária
Governo baixa gasolina e gasóleo 2 e 1 por cento mas preço do barril de petróleo caiu 25 por cento
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Economia
Escrito por Adérito Caldeira  em 18 Abril 2019
Share/Save/Bookmark

ArquivoO Governo de Filipe Nyusi reviu pela primeira vez em 2019 o preços dos combustíveis, a gasolina reduziu 2,4 por cento e o gasóleo 1,6 por cento. Mas desde o último reajuste o preço do barril de petróleo caiu 25 por cento, foram menos 29 milhões de Dólares na factura de importação que desde Fevereiro deveriam ter feito os moçambicanos pagarem bem menos para atestar as suas viaturas.

Desde 21 de Novembro que o preço dos combustíveis líquidos não eram revistos em Moçambique. A gasolina que na ocasião baixou de 69,53 para 68,73 Meticais o litro vai reduziu novamente, a partir desta quinta-feira (18), para 67,07 Meticais. O gasóleo que aumentara de 64,66 para 65,56 reduz para 64,55 Meticais o litro. O petróleo de iluminação também ficou mais barato, de 50,33 custará 49,08 Meticais por litro, assim como o gás de cozinha, baixou de 64,13 para 63,16 Meticais por quilo.

“(...) Percebemos que haviam condições para mantermos os preços, também respeitando a quadra festiva que os moçambicanos tiveram que passar e não perturba-los” declarou o director nacional de combustíveis e hidrocarbonetos no Ministérios dos Recursos Minerais e Energia, Moisés Paulino.

Porém Moisés Paulino faltou com a verdade, quando o Governo reviu os preços em Novembro de 2018 tinha adquirido combustíveis com o preço do barril de petróleo cotado entre 78 a 80 Dólares norte-americanos.

Mas em Dezembro o Banco de Moçambique informava que “o preço do barril de petróleo situou-se em 60,15 Dólares no fecho do dia 12 de Dezembro de 2018”, portanto em Fevereiro essa descida de cerca de 25 por cento deveria ter-se reflectido no bolso dos moçambicanos como se reflectiu na factura de importação reduziu de 118,3 milhões de Dólares norte-americanos em Novembro para 89,3 milhões em Dezembro de 2018.

Aliás os moçambicanos pagam duplamente pelos combustíveis pois o Estado tem de emprestar dinheiro à Petromoc para a falida Empresa Estatal poder importa-los, só em 2018 foram 22 biliões de Meticais que não há evidências de terem sido pagos de volta ao erário.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom