Faixa publicitária
Cidadão chinês morto a tiro em Nampula sendo a terceira vítima da mesma nacionalidade este ano
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Nacional
Escrito por Redação  em 31 Agosto 2015
Share/Save/Bookmark

Um cidadão de nacionalidade chinesa, cujo nome não apurámos, perdeu a vida na tarde da passada quinta-feira (27) vítima de baleamento por indivíduos ainda por identificar, no posto administrativo de Mutivaze, no distrito de Rapale, província de Nampula.

Para além de matar o cidadão a que nos referimos, por motivos também desconhecidos, os supostos malfeitores apoderaram-se de três milhões de meticais destinados ao pagamento de salários dos funcionários da empresa em que o finado era gestor.

Na sua operação maliciosa, os bandidos feriram a tiro um outro indivíduo que conduzia o carro no qual a cidadão morto se fazia transportar. Antes de se apoderarem do dinheiro, os presumíveis criminosos ameaçaram também os outros chineses e fugiram em direcção a Ribáuè.

Em declarações à imprensa, Sérgio Mourinho, porta-voz do Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, disse que o malogrado morreu a caminho do Hospital Central de Nampula. Na altura da tragédia, ele e os companheiros da cidade de Nampula, iam levantar o dinheiro roubado. O crime foi perpetrado por volta das 16h30.

Os presumíveis gatunos, que se faziam transportar numa viatura com os vidros fumados, com uma matrícula não identificada, bloquearam o veículo das vítimas e descarregaram balas, tendo morto pelo menos uma pessoa, contou Sérgio Mourinho.

O agente da Lei e Ordem apelou, mais uma vez, aos cidadãos para que peçam a protecção da Polícia quando pretendem movimentar elevadas somas de dinheiro. Não há nenhum custo para o efeito porque é papel das autoridades a garantia da segurança de pessoas e bens no país.

Dois chineses mortos em Março e Maio de 2015

A 22 de Março último (domingo) um cidadão de nacionalidade chinesa, identificado pelo nome de Wan, de 45 anos de idade, que estava afecto a uma companhia de cultivo e processamento de arroz no distrito do Búzi, província de Sofala, foi assassinado no seu local de trabalho, por supostos bandidos a monte, os quais se apoderaram de duas armas do tipo AKM da Polícia, uma viatura, 300 mil meticais, 500 dólares norte-americanos e dois telemóveis.

O crime aconteceu por volta das 13h00 na empresa Lianhe Africa Agriculture Development Co Limitida, sita na zona de Cherimónio, na localidade de Inharongue.  Trata-se de uma firma instalada em 2013 e que iniciou as actividades em 2014.

O acto foi cometido por um grupo de 10 elementos, os quais, chegados àquelas firma, se aproveitaram da distracção de dois agentes da PRM que garantiam a segurança do local. Consta que os polícias abandonaram as suas armas na guarita onde permaneciam enquanto vigiavam as instalações e foram almoçar.

O pessoal que se encontrava na empresa, inclusive a vítima alvejada mortalmente quando tentava oferecer resistência, foi encurralado. As duas armas, ora em poder da gangue, pertencem ao Comando Distrital da PRM no Búzi.

Volvidos dois meses, concretamente em Maio, mais um cidadão de nacionalidade chinesa foi morto e outros dois ficaram gravemente feridos na localidade de Déia, distrito de Chinde, província da Zambézia. A situação aconteceu na madrugada de quarta-feira, quando cinco homens munidos de armas de fogo do tipo AKM se introduziram num acampamento da companhia de mineração Africa Great Wall Mining e dispararam indiscriminadamente contra os trabalhadores, tendo como objectivo assaltar a empresa. A vítima mortal, esfaqueada e baleada dentro do quarto onde dormia, era responsável pela área logística da empresa.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 2
FracoBom