Faixa publicitária
Carvalho Muária é o 12° Governador de Sofala
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Nacional
Escrito por Danúbio Mondlane  em 26 Janeiro 2011
Share/Save/Bookmark

O Presidente da República, Armando Emílio Guebuza, empossou, esta terça-feira, Carvalho Muária no cargo de Governador da Província de Sofala, no Centro do País.

Carvalho Muária foi nomeado Governador efectivo da Província de Sofala através de despacho Presidencial de 07 de Janeiro de 2011, na mesma data em que foi exonerado do cargo de Vice-Ministro das Obras Públicas e Habitação.

Muária, entretanto, já vinha exercendo há cerca de seis meses o cargo de Governador de Sofala, ou seja, desde 02 de Julho de 2010 quando foi indicado pelo Presidente da República substituto legal do anterior governador, Maurício Vieira, que ficou afastado do exercício do cargo desde o primeiro trimestre do mesmo ano por motivos de doença, tendo acabado por perder a vida no passado dia 07 de Dezembro de 2010, numa unidade hospitalar na vizinha República da África do Sul.

Carvalho Muária é o décimo segundo Governador da Província de Sofala desde da instalação do Governo da República de Moçambique em 1974, ou seja, a 37 anos. É o primeiro a ser nomeado em substituição de um governador que perde a vida no cargo.

O mesmo sucede em relação a Maurício Vieira que se tornou no primeiro Governador de Sofala a perder a vida no cargo. Vieira foi também o primeiro Governador de Sofala que menos tempo levou no cargo, cerca de onze meses, com o agravante de o ter exercido aproximadamente dois meses apenas.

O primeiro a ser nomeado Governador da Província de Sofala foi Alberto Cangela de Mendonça, entre 1974 e 1975. Francisco Masquil foi o que mais tempo permaneceu no cargo de Governador de Sofala, cerca de nove anos, entre 1986 e 1995, e tornou-se o mais acarinhado dirigente da província.

Felício Zacarias (2000/ 2005) foi o mais popular, enquanto Alberto Clementino Vaquina (2005/ 2010) foi distinguido como tendo sido o mais sábio ou inteligente – a ponto de durante o seu mandato ter conseguido inverter a tendência de voto em Sofala a favor da Frelimo que pela primeira vez acabou conseguindo maioria representativa nas Assembleias tanto da República, Provincial e dos quatro municípios instituídos nesta província, nomeadamente Beira, Dondo, Marromeu e Gorongosa.

Apenas não conseguiu reconquistar a Presidência do Município da Beira que continua nas “mãos” de Daviz Simango agora suportado pelo Movimento Democrárico de Moçambique – MDM.

Marcelino dos Santos, o veterano histórico da luta armada de libertação nacional que foi designado Dirigente da Província de Sofala entre 1983 e 1986 foi o mais contestado; enquanto Felisberto Paulino Tomás (1995/ 2000) teve o privilégio de tornar-se o primeiro Governador de Sofala da nova era democrática multipartidária, mas acabou rotulado como tendo sido o péssimo de todos

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 4
FracoBom