Continua-se a morrer por acidentes de viação nas estradas moçambicanas
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Motores
Escrito por Emildo Sambo  em 16 Junho 2017
Share/Save/Bookmark

Os acidentes de viação deixaram pelo menos 21 óbitos e 58 feridos, dos quais 22 graves e danos materiais avultados, na semana finda, em diferentes estradas, informou a polícia moçambicana, reiterando o apelo para que os automobilistas se façam ao volante com prudência de modo a evitar o luto e derramamento de sangue.

O Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM) disse que a tragédia resultou de 30 sinistros rodoviários, dos quais pelo menos 16 foram do tipo atropelamento carro/peão, cinco choques entre carros, quatro despistes e capotamento e igual número de colisão entre viaturas e motorizadas.

O excesso de velocidade, a condução sob o efeito de embriagues, a má travessia de peão e a ultrapassagem irregular foram as principais causas, de acordo com Inácio Dina, porta-voz daquela instituição do Estado.

No que tange à fiscalização rodoviária com vista a evitar os acidentes e outro tipo de indisciplina, foram abrangidas 37.847 viaturas. Destas, 4.744 condutores não escaparam das multas devido à suposta transgressão das transgressão das regras de trânsito.

Na mesma operação, a Polícia de Trânsito (PT) confiscou 206 cartas e deteve nove indivíduos por condução ilegal.

Outros três cidadãos ficaram privados de liberdade por alegado suborno aos agentes de trânsito, na cidade de Maputo, com 100 meticais, e nas províncias de Maputo e Cabo Delgado, com 2.000 e 200 meticais, respectivamente, disse Inácio Dina, num briefing à comunicação social.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom