Faixa publicitária
A Fé [email protected] Verdade - Mil islamofobias
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vozes - @Hora da Verdade
Escrito por Redação  em 11 Dezembro 2009
Share/Save/Bookmark

Só quatro mesquitas na Suíça ostentam minaretes. A desproporção entre a banalidade dessa realidade e a constitucionalização de uma proibição de construção de minaretes no país dá bem a medida do pânico moral em torno de uma fantasmagorização da presença muçulmana.

Nisto, a Suíça em nada se diferencia das manifestações paralelas de identitarismos exclusivistas que pela Europa e mundo fora se vêm repercutindo na marginalização, exclusão e excepcionalização dos “seus” muçulmanos – residentes ou cidadãos de pleno direito.

Em cada um destes contextos a denúncia da suposta alteridade e inassimilidade cultural dos muçulmanos encontra a sua expressão própria, histórica, cultural, linguística e mitologicamente sedimentada, mas nevrálgica, porque nela se cruzam velhas questões: as tidas por acabadas, em que o islão e os muçulmanos aparecem por metáfora como regresso atávico do passado ultrapassado; e as inacabadas, que ressurgem na colonialidade, orientalização e racialização do islão e dos muçulmanos de carne e osso, agora a portas dentro.

Por trás do voto dos suíços está a campanha xenófoba do partido populista de extremadireita, assim como em cada país e contexto da Europa estão os outros tantos partidos populistas de extrema-direita que vão assustadoramente ganhando terreno. Mas a proporção de 57% passa muito além dos partidários e mesmo simpatizantes do Partido Popular Suíço.

A responsabilidade na Suíça – como na Bélgica do Vlaams Blok, na Inglaterra da Liga de Defesa Inglesa e do Partido Nacional Britânico, da França da Frente Nacional, etc., etc., etc. – passa pela politização e respeitabilização do racismo cultural em torno dos “problemas” da imigração, do multiculturalismo e da diferença. Os contextos políticos domésticos, por seu turno, articulam-se através da politização da insegurança e do “terror”, financiada e factualizada pela indústria dos estudos do terrorismo, e governamentalmente espelhada no “arquipélago de gulags” e na banalização da tortura aceite como preço a pagar pela defesa do “nosso” modo de vida e da “nossa” segurança.

A proposição que os suíços foram chamados a votar é islamófoba. O resultado do voto é islamófobo. Nisto, em nada é excepcional a Europa de hoje. O que verdadeiramente interessa, porém, é entender criticamente o que esse voto representa: o que nele se traduz das articulações e cumplicidades entre as ideologias e retórica dos partidos e movimentos de extrema-direita populista e os partidos parlamentares; entre os actos de violência dos fascistas de rua e as “corajosas” opiniões prêt-àporter dos comentaristas de imprensa e da blogosfera do espaço público liberal; entre as especificidades do enclausuramento identitário nacionalista em cada país e o todo (que é mais que a soma das partes) dos exclusivismos de uma identidade “europeia” e de um “Ocidente” que esquece e apaga o enredado global da sua história.

É islamofobia. Importa o nome; mas o que mais interessa é pensar e debater as continuidades ou a novidade da islamofobia e do racismo contemporâneo. É um pensar/ agir. Identificar e nomear um fenómeno como islamofobia faz parte de um processo de contestação pelo reconhecimento, pelo direito de cidade dos muçulmanos. Mas não é tarefa que cabe ou cumpre apenas aos muçulmanos, e sim a todos os cidadãos comprometidos em criar e conviver numa sociedade e num mundo mais justos. *Professor no King”s College de Londres

Comentários   

 
-1 #1 A 11-12-2009 15:23
Sobre os minaretes, os mesmos nada têm a ver o islam original.
Na verdade, são mais um insulto a maomé.
Também não admira que o sejam.
Se visto e analisado ao pormenor, quase tudo ou mesmo tudo no islam, são insultos ao próprio islam e a maomé.
Até por essa razão, todo o islam devia ser proibido em toda a parte.
Como se sabe, o islam não reconhece o outro, nem que o outro fosse um Allah Bom e Vivo.
O maometismo estupidificou de tal modo os enganados por maomé, que estes nem se apercebem do que dizem e fazem.
___________________________________________________

Para que se saiba.
Na prática a última coisa que maomé fez foi assassinar o seu próprio allah maometano.
Disse que o seu allah não mais falaria e que ficava sem espírito.
Mas antes, e no islam, maomé tirou o filho a allah e castrou-o para que nem descendência pudesse deixar.
maomé também antes, assassinou a familia de allah, os amigos e todas as entidades espirituais boas,anjos, arcanjos, santos e outras.
Pior ainda. No islam as coisas são cada vez piores.
No islam, maomé só deixou o diabo à solta.
No islam, satanás é a única entidade espiritual activa e que sussurra aos maometanos.
Os maometanos eruditos podem confirmar isto.
Dão é depois voltas e mais voltas a justificar, mas isso só prova que o islam é muito hábil a enganar
os próprios e a tentar enganar os outros.
Pode-se dizer que isto acontece no mundo imaginário, mas é este mundo imaginário que controla o maometismo.
Estas verdades dão uma ideia da intolerância e satanismo que existe na doutrina maometana.
Para maomé um allah vivo ou qualquer entidade espiritual boa viva, seriam os maiores perigos ao seu poder.
Nem o próprio allah maometano podia escapar com vida às mãos de maomé.
Só fora do islam o bem(bom-senso/r azão) e o Bom Deus podem existir, estarem vivos e manifestarem-se no mundo e nas pessoas.
___________________________________________________________________


Mais coisas que se vão descobrindo sobre o islam.
Um muçulmano pode ser o maior criminoso em relação aos não muçulmanos e mesmo para com muçulmanos.
Os outros muçulmanos não o julgam, allah sabe mais e allah é que o julgará.
Ele, o muçulmano criminoso, pode ter feito coisas proveitosas para o islam, e os outros muçulmanos não o saberem.

Um não-muçulmano pode ser a melhor e a mais santa das pessoas.
Para os muçulmanos não tem valor e é para submeter.
Para o islam, o pior muçulmano está acima do melhor não muçulmano.

Um não-muçulmano pode fazer o melhor dos bens aos muçulmanos, estes nada lhe agradecem.
Agradecem só a allah, mesmo que allah os tenha posto ou ponha na maior das desgraças e misérias.

Os muçulmanos nunca podem por em causa maomé e allah, quando foi o próprio maomé a revelar-nos que
o seu allah era o responsável por todo o mal do mundo.

Os muçulmanos dizem o que dizem e fazem o que fazem, porque isso lhes traz proveitos e os não muçulmanos, continuam
cegos e a não quererem ver o que o islam realmente foi, é e quer ser.
Está tudo escrito, é só dar um pouco de atenção para descobrir estas e outras verdades sobre aquela coisa, o islam.

O islam aproveita-se da bondade, generosidade, ingenuidade e passividade dos não-muçulmanos, para ir construindo a
sua maldade.

Mesmo que isso passe por desmascarar o mais mascarado dos males, tipo islam, as boas pessoas têm o direito, dever
e obrigação de defenderem e construírem o bem.
Citar
 
 
-1 #2 A 11-12-2009 15:23
Para que se saiba.
Na prática a última coisa que maomé fez foi assassinar o seu próprio allah maometano.
Disse que o seu allah não mais falaria e que ficava sem espírito.
Mas antes, e no islam, maomé tirou o filho a allah e castrou-o para que nem descendência pudesse deixar.
maomé também antes, assassinou a familia de allah, os amigos e todas as entidades espirituais boas,anjos, arcanjos, santos e outras.
Pior ainda. No islam as coisas são cada vez piores.
No islam, maomé só deixou o diabo à solta.
No islam, satanás é a única entidade espiritual activa e que sussurra aos maometanos.
Os maometanos eruditos podem confirmar isto.
Dão é depois voltas e mais voltas a justificar, mas isso só prova que o islam é muito hábil a enganar
os próprios e a tentar enganar os outros.
Pode-se dizer que isto acontece no mundo imaginário, mas é este mundo imaginário que controla o maometismo.
Estas verdades dão uma ideia da intolerância e satanismo que existe na doutrina maometana.
Para maomé um allah vivo ou qualquer entidade espiritual boa viva, seriam os maiores perigos ao seu poder.
Nem o próprio allah maometano podia escapar com vida às mãos de maomé.
Só fora do islam o bem(bom-senso/r azão) e o Bom Deus podem existir, estarem vivos e manifestarem-se no mundo e nas pessoas.
Citar
 
 
-1 #3 A 11-12-2009 15:24
Mais coisas que se vão descobrindo sobre o islam.
Um muçulmano pode ser o maior criminoso em relação aos não muçulmanos e mesmo para com muçulmanos.
Os outros muçulmanos não o julgam, allah sabe mais e allah é que o julgará.
Ele, o muçulmano criminoso, pode ter feito coisas proveitosas para o islam, e os outros muçulmanos não o saberem.

Um não-muçulmano pode ser a melhor e a mais santa das pessoas.
Para os muçulmanos não tem valor e é para submeter.
Para o islam, o pior muçulmano está acima do melhor não muçulmano.

Um não-muçulmano pode fazer o melhor dos bens aos muçulmanos, estes nada lhe agradecem.
Agradecem só a allah, mesmo que allah os tenha posto ou ponha na maior das desgraças e misérias.

Os muçulmanos nunca podem por em causa maomé e allah, quando foi o próprio maomé a revelar-nos que
o seu allah era o responsável por todo o mal do mundo.

Os muçulmanos dizem o que dizem e fazem o que fazem, porque isso lhes traz proveitos e os não muçulmanos, continuam
cegos e a não quererem ver o que o islam realmente foi, é e quer ser.
Está tudo escrito, é só dar um pouco de atenção para descobrir estas e outras verdades sobre aquela coisa, o islam.

O islam aproveita-se da bondade, generosidade, ingenuidade e passividade dos não-muçulmanos, para ir construindo a
sua maldade.

Mesmo que isso passe por desmascarar o mais mascarado dos males, tipo islam, as boas pessoas têm o direito, dever
e obrigação de defenderem e construírem o bem.
Citar
 
 
-1 #4 A 11-12-2009 15:24
Os muçulmanos dizem o que dizem e fazem o que fazem, porque isso lhes traz proveitos e os não muçulmanos, continuam
cegos e a não quererem ver o que o islam realmente foi, é e quer ser.
Está tudo escrito, é só dar um pouco de atenção para descobrir estas e outras verdades sobre aquela coisa, o islam.

O islam aproveita-se da bondade, generosidade, ingenuidade e passividade dos não-muçulmanos, para ir construindo a
sua maldade.

Mesmo que isso passe por desmascarar o mais mascarado dos males, tipo islam, as boas pessoas têm o direito, dever
e obrigação de defenderem e construírem o bem.
Citar
 
 
-1 #5 A 11-12-2009 15:25
Para que se saiba.
Na prática a última coisa que maomé fez foi assassinar o seu próprio allah maometano.
Disse que o seu allah não mais falaria e que ficava sem espírito.
Mas antes, e no islam, maomé tirou o filho a allah e castrou-o para que nem descendência pudesse deixar.
maomé também antes, assassinou a familia de allah, os amigos e todas as entidades espirituais boas,anjos, arcanjos, santos e outras.
Pior ainda. No islam as coisas são cada vez piores.
No islam, maomé só deixou o diabo à solta.
No islam, satanás é a única entidade espiritual activa e que sussurra aos maometanos.
Os maometanos eruditos podem confirmar isto.
Dão é depois voltas e mais voltas a justificar, mas isso só prova que o islam é muito hábil a enganar
os próprios e a tentar enganar os outros.
Pode-se dizer que isto acontece no mundo imaginário, mas é este mundo imaginário que controla o maometismo.
Estas verdades dão uma ideia da intolerância e satanismo que existe na doutrina maometana.
Para maomé um allah vivo ou qualquer entidade espiritual boa viva, seriam os maiores perigos ao seu poder.
Nem o próprio allah maometano podia escapar com vida às mãos de maomé.
Só fora do islam o bem(bom-senso/r azão) e o Bom Deus podem existir, estarem vivos e manifestarem-se no mundo e nas pessoas.
Citar
 
 
-1 #6 A 11-12-2009 15:25
Estas verdades dão uma ideia da intolerância e satanismo que existe na doutrina maometana.
Para maomé um allah vivo ou qualquer entidade espiritual boa viva, seriam os maiores perigos ao seu poder.
Nem o próprio allah maometano podia escapar com vida às mãos de maomé.
Só fora do islam o bem(bom-senso/r azão) e o Bom Deus podem existir, estarem vivos e manifestarem-se no mundo e nas pessoas.
Citar
 
 
0 #7 Hamza Abdullah Islam 29-03-2010 09:58
Queridos Leitores!
Eu não entendo porque tanto ódio quando o assunto é o islamismo. Vocês falam de Allah SW como se fosse uma entidade, um Exu, um Orixá. Allah é simplesmente a palavra Deus na língua árabe. Como God em ingles, Dio em italiano e Dios em Espanhol. Allah é o Deus de Abraão,de Moisés,de Jesus e de Muhammad (Que a paz, as bençãos e a misericordia de Allah estejam com Eles). Assim como no Cristianismo,Ju daismo,Budismo, Umbandismo etc... Existem grupos radicais no islamismo não é diferente. Vamos aos fatos, tirando a tirania dos nossos maus governantes e certas ações dos nossos extremistas, o que mais de ruim se fala do islam. Nos temos ações de grupos terroristas cristãos (ASFAC(COLOMBIA ), ETA(ESPANHA),IR A (IRLANDA), só que ninguem comenta.Tem também os escandalos de pedofilia, homossexualismo na secular Igreja Católica Apostolica Romana, escandalos financeiros nas igreja evangélicas. E ai eu pergunto, somos mais de 1 milhão de muslim no Brasil e não se tem noticias desses tipo de comportamento. A questão do islamismo é simples,estude- o primeiro, faça como eu fiz, e você vai no minimo tirar esse ódio do coração contra pessoas tão bondosas e corretas.
Eu concordo sobre nossos lideres que lesgilam em causa própria, mas nada disso é culpa da Religião é sim culpa dos seu maus seguidores, assim como acontece em outras crenças.
Quando preferimos usar a palavra Allah para remeter ao Deus todo poderoso é porque essa palavara não tem genero, numero ou grau e significa especificamente O Deus Criador de Todas as Coisa. Que Allah SW nos proteja, nos una e nos dê tolerância para com as pessoas que não professam a mesma doutrina. Sim doutrina, porque nossa crença é monoteísta como os Judeus e Cristãos. Paz para todos
Citar
 
 
0 #8 Hamza Abdullah Islam 29-03-2010 10:11
É MELHOR SER UM BANDIDO DECLARADO DO QUE UM SANTO OMISSO. PORQUE VC SÓ AGE NO ANOMIMATO, BATE E ESCONDE A MÃO. NÓS ESTAMOS NA ÉPOCA DO MMA OU SEJA UM MIX DE TODAS AS ARTES. VOCÊ TEM QUE SE EXPOR,VIVEMOS EM UM PAIS LIVRE. OU VC TEM MEDO DE SER ENQUADRADO NO CRIME DE PRECONCEITO QUE FERE O CAPITULO 5 DA NOSSA CONSTITUIÇÃO. PARA COM ISSO CIDADÃO VAMOS DISCUTIR ABERTAMENTE AS QUESTÕES, VAMOS ACEITAR AS DIFERENÇAS SÃO ELAS QUE MOVEM O MUNDO.
QUE ALLAH SW POSSA LHE DAR CORAGEM E FORÇA E PERDÃO PELAS INJURIAS CONTRA ELE E CONTRA SEU POVO.

ASSALAMUM ALEIKUM
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom