Faixa publicitária
27 estrangeiros descobertos a trabalharem ilegalmente nas Cervejas de Moçambique
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Economia
Escrito por Redação  em 12 Novembro 2019 (Actualizado em 16 Novembro 2019)
Share/Save/Bookmark

A Inspecção do Trabalho descobriu 27 cidadãos estrangeiros a trabalharem ilegalmente nas instalações das Cervejas de Moçambique (CDM) em Maputo.

Os estrangeiros, oriundos da África do Sul e da Malásia, foram encontrados pelas autoridades na nova fábrica que a maior cervejeira nacional, que é subsidiaria da ABInBev, está a edificar no Distrito de Marracuene, na Província de Maputo, e a documentação que apresentaram indica terem entrado no nosso país sem visto de trabalho.

“Mais preocupante é que nos portões da própria empresa encontramos cidadãos estrangeiros que disseram estar a espera de ser contratados”, acrescentou o Inspector-chefe da Inspecção Geral de Trabalho em Maputo, Figueredo Langa.

As CDM esclareceram em comunicado que os trabalhadores estrangeiros em situação ilegal são “pertencentes a uma das empresas subcontratadas pela entidade que está a liderar o processo de construção da fábrica”.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom