Decisão Final para investir 26,5 biliões de Dólares na Área 1 do Bloco do Rovuma vai acontecer em Junho
Versão para impressão
Destaques - Economia
Escrito por Adérito Caldeira  em 08 Maio 2019 (Actualizado em 14 Maio 2019)
Share/Save/Bookmark

Foto da Presidência da RepúblicaIndependentemente dos ataques armados, que não cessaram no Norte de Cabo Delgado, o Chief Executive Officer da Anadarko Petroleum Corporation, Al Walker, garantiu nesta terça-feira (07) ao Presidente Filipe Nyusi que a ansiada Decisão Final de investir 26,5 biliões de Dólares norte-americanos na Área 1 do Bloco do Rovuma vai acontecer antes do final de Junho.

Desde finais de Fevereiro que as obras na estrada para Palma, na pista de aterragem, na vila de reassentamento e na zona de habitação dos funcionários do consórcio de empresas que vai explorar os 75 triliões de pés cúbicos de gás natural existentes na Área 1 do Bloco do Rovuma, em Cabo Delgado, foram interrompidas na sequência de um ataque que visou uma caravana de trabalhadores e causou a morte de um deles.

Nas últimas semanas tiveram início duas ofertas públicas de aquisição da Anadarko Petroleum Corporation, primeiro pela Chevron e depois pela Occidental, empresa que lidera o consórcio de investidores na Área 1, do qual fazem parte a japonesa Mitsui, as indianas ONGC, Barhat Petro Resources e Oil India, a tailandesa PTT Exploration & Production e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos.

Al Walker veio a Moçambique reafirmar as intenções da Anadarko que começam pela retomada das obras ainda esta semana, com a cooperação das Forças de Defesa e Segurança, e garantir ao Chefe de Estado que formalização da Decisão Final de Investimento de 26,5 biliões de Dólares norte-americanos vai acontecer como antes do fim de Junho próximo por forma que a partir de 2024 o gás natural possa começar a ser exportado.

Esse marco não será simbólico, vai aumentar catapultar os investimentos actuais que rondam os 500 milhões de Dólares para vários biliões de Dólares que irão, numa primeira fase, equilibrar a deficitária Balança de Pagamentos, e depois impulsionar a economia moçambicana em desaceleração desde 2018.

Estimativas governamentais a que o @Verdade teve acesso indicam que depois do início da exportação do gás o Estado moçambicano poderá arrecadar, até 2030, cerca de 63,4 biliões de Dólares norte-americanos dos Royalties que serão pagos, do Impostos sobre o Rendimento de Pessoa Colectiva, do lucro petróleo e dos lucros da ENH .

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom