Faixa publicitária
OpenDataton: Maputo é a segunda cidade de África a contar com programa de abertura de dados
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Economia
Escrito por Fim de Semana, Informe Comercial  em 11 Agosto 2017
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaA cidade de Maputo é, desde quarta-feira, 9 de Agosto, a segunda cidade da África Subsaariana a contar com um programa de abertura de dados, designado por OpenDataton Maputo 2017.

A iniciativa, levada a cabo pelo Conselho Municipal da Cidade de Maputo e pelos parceiros Banco Mundial e Standard Bank, consistirá, numa primeira fase, numa série de encontros de discussão sobre a tecnologia em torno da ciência de análise e processamento de dados.

Em seguida, haverá uma maratona de programação na qual várias equipas irão desenvolver soluções de base tecnológica, através do uso de dados relacionados com a capital do País, que serão disponibilizados pelo Conselho Municipal da Cidade de Maputo-CMCM.

Intervindo no lançamento da iniciativa, realizado na Incubadora do Standard Bank, cuja abertura oficial será na sexta-feira, 11 de Agosto, o director de Planeamento Urbano do CMCM, Euclides Rangel, referiu que o OpenDataton Maputo 2017 é um importante evento que marca uma relativa mudança na forma de prestação de serviços aos munícipes desta urbe.

“Ao abraçar este projecto, o Município de Maputo fê-lo com convicção de que poderá, por via deste mecanismo, garantir a transparência e fomentar, em grande medida, a qualidade dos serviços prestados aos nossos munícipes”, disse.

Euclides Rangel assegurou ainda que, com a abertura dos dados, o CMCM pretende, por outro lado, prestar contas aos cidadãos, em relação aos diferentes serviços ou informações de como, por exemplo, o Município faz a gestão do erário público.

Falando também no evento, o representante do Standard Bank, Leovigildo Reis, lembrou aos presentes que esta instituição bancária centenária no País tem como uma das grandes directrizes a transformação radical da experiência do cliente.

Por forma a alcançar este objectivo, destacou que “temos reflectido na estratégia do banco e nas suas acções, sobre a disponibilidade de plataformas digitais que permitem o acesso a dados pertinentes e úteis para o dia-a-dia do cliente”.

“É, portanto, com grande satisfação que olhamos para esta iniciativa do Município de Maputo de abrir os seus dados, sobre a qual acreditamos ser uma base de criação de conhecimento inovador e empreendedor”, manifestou Leovigildo.

A líder do Programa da Área de Crescimento Equitativo, Finanças e Instituições do Banco Mundial, Carolin Geginat, disse, por sua vez, que esta instituição financeira mundial apoia as entidades públicas nacionais a criarem iniciativas que visam o preenchimento de lacunas existentes na recolha, divulgação e acesso de dados.

“Foi por isso que nasceu a ideia da criação do OpenDataton Maputo 2017, uma iniciativa através da qual pretendemos potenciar a comunidade local na capacidade de análise, utilização e divulgação de dados”, disse Carolin, acrescentando que o Banco Mundial quer colaborar com todos os envolvidos neste processo que, sem dúvidas, ajudará no desenvolvimento do País.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom