Faixa publicitária
Correios de Moçambique cria instituição bancária
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Economia
Escrito por AIM  em 01 Abril 2013
Share/Save/Bookmark

A Empresa Correios de Moçambique vai passar a operar nos serviços financeiros até finais do corrente ano, através da criação de um banco designado Banco Postal de Moçambique cujo processo está em fase de licenciamento.

José Rego, Presidente do Conselho de Administração da Correios (PCA) de Moçambique, diz que o banco será estabelecido em vários pontos do território nacional com destaque para as zonas rurais, com vista a incrementar o desenvolvimento local através da prestação de serviços financeiros.

O PCA é citado pelo jornal “Diário de Moçambique” explicando que nas zonas rurais as populações querem serviços financeiros para fazerem suas poupanças, acesso a crédito para fazerem investimentos em diversas áreas de actividade desde a agricultura ao comércio.

“Achamos que podemos participar neste processo de bancarização”, disse Rego, adiantando que com o surgimento de novas tecnologias o envio de cartas deixou de constituir negócio em Moçambique.

A empresa Correios de Moçambique, segundo Rego, com sua rede espalhada por todo o território nacional, principalmente nos distritos, pode estabelecer um banco para atender a situações específicas das pessoas que vivem nas zonas rurais.

A fonte explicou que com a queda dos seus serviços tradicionais a empresa experimentou imensas dificuldades, sobretudo de ordem financeira, tendo contraído dívidas com instituições nacionais e estrangeiras no valor de 150 milhões de meticais (cerca de cinco milhões de dólares ao câmbio corrente).

Parte desta dívida está relacionada com o pagamento quotas em instituições internacionais ligadas ao ramo em que os correios estão filiados, esperando-se que dentro dos próximos sete anos as condições venham a melhorar.

Rego sublinhou que a empresa procura melhorar a sua posição nos mercados nacional e internacional, o que passa pela sua remodelação e introdução de serviços que permitam uma maior arrecadação de receitas.

Para o efeito, explicou Rego, a empresa Correios de Moçambique precisa de 15 milhões de dólares norte-americanos para implementar vários projectos em carteira para melhorar a sua situação financeira.

Os projectos incluem a criação de empresas de logística e de correio híbrido adequadas as Tecnologias de Informação e Comunicação para flexibilizar o processo de encomendas.

O correio híbrido, segundo Rego permite que as encomendas sejam identificadas de forma digital com destaque especial para a documentação, porque “os correios podem participar na digitalização de tudo quanto for documentação”.

O PCA admitiu a possibilidade de a empresa recorrer a empréstimos para tornar estas iniciativas exequíveis, incluindo a criação do Banco Postal.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom