Ciberactivistas expõem revoltas no Norte de África e Médio Oriente
Escrito por Redação  em 29 Março 2011
Share/Save/Bookmark

O ciberactivismo, ou a defesa de causas através da internet por meio de várias ferramentas, como e-mails, blogs, vídeos, e redes sociais, como o Twitter e o Facebook, tem tido um papel importante nas revoluções que tomam lugar desde o início do ano no Médio Oriente e Norte da África.

Na Líbia, os protestos pela retirada do Muammar Al Kadhafi do poder, onde se mantém há 42 anos, começaram a 16 de Fevereiro. Ciberactivistas Líbios, com uma situação extremamente perigosa e fluida - e com conexões digitais irregulares - desde logo começaram a contrabandear vídeos e fotografias da revolta para o mundo exterior, conforme o Global Voices reportou no artigo Morte Antes da Liberdade.

Este vídeo, carregado no Youtube por TUNISIEINFOS, mostra o que as pessoas afirmam serem armas confiscadas de mercenários estrangeiros. TUNISIEINFOS comenta que o vídeo foi gravado em Benghazi:

Um mês depois, as forças da coligação avançavam com uma intervenção aérea no no país.

Desde a queda dos regimes Tunisino e Egípcio que em Marrocos se planeava o “movimento pela dignidade” para o dia 20 de Fevereiro. Os manifestantes exigiam uma reforma constitucional, a dissolução do parlamento e a diminuição de preço dos alimentos. As redes sociais foram usadas para disseminar a mensagem..

Também na Síria, após um “dia de fúria”, a 16 de Março, um grupo de cerca de 150 manifestantes reuniu-se na frente do Ministério do Interior, em Damasco, exigindo a libertação de presos políticos. No entanto, pelo menos 35 manifestantes foram presos na mesma altura. Twitter, Facebook e blogs, serviram para expôr os eventos.

No Bahrein, os protestos começaram a 14 de Fevereiro (veja a página de cobertura especial no Global Voices). Um grupo de especialistas em TI (Tecnologia de Informação) organizou uma passeata anti-governo com cartazes e slogans “geeks” [geek é uma gíria do inglês usada para aquelas pessoas mais excêntricas que amam tecnologia e jogos eletrônicos] . Alguns dos cartazes mais criativos podem ser vistos aqui.

Repórteres Cidadãos da Lusofonia

Poucos dias antes do Primeiro Ministro de Portugal, José Sócrates, apresentar a sua demissão, um protesto espontâneo convocado pelo Facebook levou às ruas de várias cidades do país dezenas de milhares de pessoas.

O Protesto Geração à Rasca pôs blogueiros a falar sobre o elevado desemprego e sub-emprego no país.

Obama e o Cristo Redentor, no Twitpic, por @anglinhoNo Brasil, a primeira visita do presidente Obama foi marcada pela polémica decisão da intervenção militar de seu país na Líbia, além da maquilhagem em favelas e protestos seguidos de violenta repressão policial.

Treze anos depois da morte de Konis Santana, um humilde herói da longa luta armada de resistência de Timor Leste, um artigo do Global Voices fala sobre a sua poderosa capacidade unificadora e o mistério que envolve o seu desaparecimento.

Em Angola, uma chamada para a “revolução” através da Internet, que se propunha a destronar o Governo de Angola, acabou por não dar em nada. Nos blogs foi exposta a manobra de antecipação do Estado, que convocou manifestações em prol do partido no poder, colocou militares a postos, e silenciou os revoltosos. Ficam claras as diferenças entre Angola e os países do Norte de África.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 4
FracoBom