Faixa publicitária
Autárquicas 2018: MDM humilhado, Renamo sobressai e Frelimo perde alguns municípios
Escrito por Emildo Sambo  em 12 Outubro 2018
Share/Save/Bookmark

Foto de Adérito CaldeiraO Movimento Democrático de Moçambique (MDM) deixou os seus créditos em mãos alheias nas eleições de quarta-feira (10). Foi severamente vexado em todos os municípios e perdeu dois (Quelimane e Gurúè) dos três que ainda estavam sob sua gestão. Na Beira, os votos até aqui amealhados pela Frelimo e Renamo sugerem um trabalho difícil para Daviz Simango, porque não terá uma maioria de assentos na assembleia autárquica. A Renamo vai gerir os municípios da Ilha de Moçambique, de Monapo, Angoche, Chiure, Quelimane e Alto Molócuè. E pode ter mais, pese embora a Frelimo leve vantagem em várias autarquias.

Na capital do país, a intenção da Renamo de “Limpar Maputo” está a gorar-se. Das 860 mesas que funcionaram no dia da votação, 281 (32%) já tinham sido apuradas até a noite de quinta-feira (11), segundo o balanço provisório da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

A Frelimo lidera a contagem com 56.02% votos, a Renamo e o MDM com 37.31% e 5.22%, respectivamente.

Os resultados dos demais partidos políticos extraparlamentares, coligações de formações políticas e grupos de cidadãos eleitores variavam de 0,02 a 0,99% de votos.

Na província de Maputo, na cidade da Matola funcionaram 706 mesas e o apuramento de votos aconteceu em pelo menos 458 (64%) delas. A Frelimo estava em vantagem com 48.42 %, seguida da Renamo, com 46.38%, e o MDM com 4.55%.

Na vila de Boane, a contagem de votos também prossegue mas a Frelimo já soma 71.83%, Renamo 22,23% e o MDM 5.43%. O Partido de Justiça Democrática de Moçambique (PJDM) não passou de 0,50%, de acordo com Paulo Cuinica, porta-voz da CNE.

Em Namaacha, a contagem de votos já terminou e a Frelimo venceu com 82.37%, contra 10.15% da Renamo, 3.74% do MDM e igual número para a Associação dos Naturais, Residentes e Amigos de Namaacha (ANRAN).

A Manhiça continuará nas mãos da Frelimo, mercê da vitória por 68.49% de votos, contra 23.28% da Renamo e apenas 8.23% do MDM.

Oposição de novo esmagada em Gaza

Até à publicação deste texto, nenhuma das mesas que funcionaram na cidade de Xai-Xai e na vila da Macia tinha sido processada.

Contudo, nas autarquias de Bilene, Chókwè, Mandlakazi e Chibuto, a Frelimo obteve 86.00%, 87.49%, 89.17% e 90.44% de votos, respectivamente, disse a CNE.

Em Inhambane, a Frelimo vence com 80.77%, Renamo 14.51% e MDM 4.72%. Já foram processadas 16 mesas das 65 existentes.

Até 24 horas depois da votação, a CNE ainda não tinha apurado os resultados dos municípios, Massinga, Maxixe, Quissico e Vilanculo.

Em Gaza, a Frelimo sempre levou a melhor contra todos os seus adversários.

MDM dá cavaco na Beira

Em Sofala, foram contabilizadas 330 mesas, das 382 existentes. O MDM está em vantagem na cidade da Beira, com 46,06%, Frelimo 29,45% e Renamo 24,12%.

Na autarquia de Gorongosa, a Frelimo (72,16%) leva vantagem sobre a Renamo (20,54%) e o MDM (7,30%).

Até à publicação deste texto a CNE não tinha informação sobre as autarquias de Dondo, Nhamatanda e Marromeu.

Quelimane e Alto Molócuè são da Renamo

Foto de Adérito CaldeiraNa Zambézia, os “quelimanenses” confiaram na Renamo, que está a vencer com 56,01% de votos e 50,66% na vila de Alto Molócuè.

No Gurúè, cidade nas mãos do MDM, a Frelimo está a vencer. O mesmo acontece em Milange e Maganja da Costa. Em Mocuba, os órgãos eleitorais ainda não tinham processado nenhuma das 91 mesas.

Em relação a Nampula, a CNE disse que não foram ainda processados os resultados da cidade capital, de Nacala-Porto e da vila de Malema.

Na cidade de Angoche, já tinham sido apuradas 47 das 66 mesas existentes. A Renamo está na dianteira, com 46.35% votos, contra 45.67% da Frelimo. Esta lidera, por sua vez, na vila de Ribáuè, com 46.87%. A Renamo 42.42%.

Na Ilha de Moçambique e vila de Monapo, a Renamo está na frente com 50,28% e 49.16% de votos, respectivamente. A Frelimo tem 37.43% e 45.38%.

Na Ilha, estavam por contar 25 mesas das 49 que funcionaram no dia da votação e apenas uma em Monapo.

Em Cabo Delgado, também não há resultados sobre a cidade de Pemba e Mocímboa da Praia, onde há 134 e 44 mesas, respectivamente.

Segundo a CNE, a Frelimo venceu em Montepuez com 51,78% e a Renamo ganhou na vila Chiure com 56.01%.

Na vila de Mueda, os eleitores asseguram vitória à Frelimo com 91.58.

Já em Manica, a Frelimo venceu em toda a província.

Nas quatro autarquias de Tete, até à publicação deste texto não havia dados sobre a cidade de Tete, a vila de Moatize. Porém, a Frelimo venceu nas vilas de Ulónguè e Nhamayabwe.

No Niassa, a Frelimo lidera a contagem de votos na cidade de lichinga e na vila de Metangula, seguida pela Renamo. Não há ainda informação sobre Cuamba.

Em Mandimba, a Frelimo venceu com 57,40%, contra 39,05% da Renamo e 3,55% do MDM, bem como em Marrupa.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 3
FracoBom