Faixa publicitária
“Samurais” falham título do Afrobasket mas Leia foi a melhor marcadora do Campeonato
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Desporto
Escrito por Adérito Caldeira  em 19 Agosto 2019
Share/Save/Bookmark

Foto da FIBA AfricaAs “Samurais” foram incapazes de vencer o Senegal, na meia-final que disputaram na sexta-feira (16), e acabaram o Campeonato Africano de basquetebol sénior feminino derrotadas pelo Mali, neste domingo (18), quedando-se no 4º lugar. Leia Dongue foi a melhor marcadora do Afrobasket e eleita para o cinco ideia da prova.

Depois de uma fase de grupo acessível, de onde saltou os “oitavos”, e de um adversário fraco nos quartos-de-final a nossa selecção entrou para a quadra da novíssima arena de Dakar disposta a mostrar o valor do basquetebol moçambicano.

Enfrentando a selecção anfitriã, onze vezes campeã africana e vice campeão a procura de reconquistar o título, as “Samurais” na sexta-feira (16) impuseram-se no 1º período por 8-16 pontos e literalmente silenciaram o hostil pavilhão no 2º período saindo para o intervalo com uma vantagem de 19-35 pontos.

Mas o descanso não fez bem a Moçambique, ou fez muito bem ao Senegal, que começou a encurtar a diferença, enervou as moçambicanas e com uma afinada pontaria reduziu a desvantagem para 3 pontos antes do derradeiro período.

As “Samurais” mostraram alguma serenidade no início do 4º período, dilataram a vantagem mas em 2 minutos as senegalesas empataram o jogo nos 48 pontos. A liderança do marcador alternou-se a cada novo ataque até Bintou Dienne disparar uma bomba. As moçambicanos já não tiveram forças para dar réplica e saíram derrotadas por 60-57 pontos.

Falando a jornalistas após a derrota Tamara Seda disse: “A equipa que vence é a equipa que faz comete menos erros, e o Senegal fez isso, infelizmente os nossos lançamentos não caíram e cometemos muitos erros defensivamente. Mas quero deixar claro que viemos para aqui competir desde o primeiro dia até hoje, deixamos esta arena com a cabeça erguida e amanhã também teremos um jogo difícil”.

“Tivemos um mau jogo” Tamara Seda

O objectivo assumido pelas “Samurais” era enfim conquistar o título africano por isso terão entrado algo frustradas para a partida deste domingo diante do Mali, mesmo adversário em partida para o último lugar do pódio do Afrobasket de 2017, um jogo sofrido que demorou a começar devido a necessidade das malianas trocarem de equipamentos.

Começaram a perder o jogo de disputa do 3º lugar, viram o Mali chegar aos 0-7 antes de Leia encestar pela primeira vez para Moçambique. As malianas aceleraram o ritmo e venceram o 1º período por 8-19 pontos.

O Mali fez 8-24 pontos até que Delma Zita deu o tom para as “Samurais” darem luta tendo reduzido a desvantagem para 25-33 pontos ao intervalo.

Foto da FIBA AfricaAnabela Cossa abriu o 3º período com uma bomba, Amélia Macamo roubou a bola e reduziu a desvantagem para 3 pontos e Tamara Seda, da linha de lançamentos livres, colocou o resultado em 32-33 pontos. Anabela tentou outro triplo mas a bomba não caiu, as malianas encestaram e Amélia respondeu com 2 pontos porém, a falta que ganhou, não conseguiu empatar o jogo. O Mali acelerou novamente o seu ritmo e distanciou em 11 pontos.

Com mais experiência e melhor banco as malianas geriram a vantagem no derradeiro período enquanto as “Samurais” não encontraram forças para lutar mais e perderam por 54-66 pontos.

“Não estamos frustradas, tivemos um mau jogo, jogamos cansadas desde o início”, resumiu Tamara Seda a jornalistas no final da partida que classificou Moçambique no 4º lugar deste Campeonato que foi reconquistado pela Nigéria, venceu o Senegal por 60-55 pontos.

Com 79 pontos, uma média de 15 por jogo, Leia Dongue continua a ser a melhor basquetebolista moçambicana e foi eleita como uma das cinco melhores do torneio. Tamara Seda foi a melhor ressaltadora do Campeonato.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom