Faixa publicitária
Moçambique “treinou” com Egipto para meia-final onde enfrenta o Senegal
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Desporto
Escrito por Adérito Caldeira  em 15 Agosto 2019
Share/Save/Bookmark

Foto da FIBA AfricaMoçambique suplantou o Egipto, nesta quinta-feira (15), em partida dos quartos-de-final do Campeonato Africano de basquetebol sénior feminino que decorre no Senegal. As “Samurais”, que se deram ao luxo de descansar a triplista Anabela Cossa, precisam de vencer as anfitriãs para chegarem a final e disputarem o inédito título do Afrobasket.

Após um dia de descanso e dois jogos acessíveis no Grupo D a nossa selecção entrou confiante que não seria difícil ultrapassar as egípcias que até abriram o placar. Ingvild Mucauro fez a cambalhota no marcador mas o Egipto deu luta e empatou a 5 pontos. As moçambicanas aceleram o ritmo da partida e construíram uma vantagem de 26-9 pontos.

O seleccionador espanhol Julian Martinez poupou Anabela Cossa, já a pensar nos próximas duas partidas, a selecção diminuiu o ritmo e viram o Egipto reduzir a desvantagem para 28-19 pontos. Gerindo a vantagem as “Samurais” foram para o intervalo a vencer 37-28 pontos.

Ingvild abriu as hostilidade no 3º período mas as egípcias não se davam por derrotadas e voltaram a encurtar a desvantagem para 53-42 pontos.

Tamara Seda, Ingvild Mucauro e Leia Dongue decidiram acelerar o ritmo e a nossa selecção voltou a distanciar-se no marcador abrindo uma vantagem de 19 pontos. Soraya Degheidy carregava a sua selecção às costas tentando encurtar novamente o placar mas as “Samurais” não deram chances e garantiram a presença na meia-final com um contundente 80-66 pontos.

Na noite desta sexta-feira (16) o Afrobasket começa à sério para Moçambique que enfrenta a selecção da casa, que nos “quartos” as senegalesas eliminaram Angola por 88-54 pontos, e procuram recuperar o título perdido em 2017 para a Nigéria. As nigerianas e o Mali disputam a outra semi-final.

As “Samurais”, que já foram finalistas vencidas em 1986, 2003 e em 2013, mesmo sem a preparação adequada, afinal o Governo de Filipe Nyusi dá primazia ao inglório futebol, estão em Dakar para desta vez conquistarem o africano.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom