Faixa publicitária
“Mambas” empatam em Bissau e falham apuramento para o 5º CAN consecutivo
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Desporto
Escrito por Adérito Caldeira  em 25 Março 2019
Share/Save/Bookmark

Há 8 anos que a principal selecção de futebol de Moçambique não participa de uma fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN), no sábado (23) os “Mambas” tiveram o apuramento garantido até ao minuto 90 mas em tempo de compensação a equipa falhou e Mendy não perdoou fazendo o 2-2 para a Guiné-Bissau que se apurou como líder do Grupo K. Mesmo tendo sido derrotada pela Zâmbia, 4-1, a Namíbia tinha carimbado o passaporte quando derrotou Moçambique sucessivamente no Zimpeto e em Windhoek.

A precisarem de ganhar para a qualificação que foge desde o CAN de Angola em 2010, os moçambicanos entraram a controlar a bola e tentando impor o seu ritmo aos “Djurtos” que diante do seu público, que lotou o estádio 24 de Setembro em Bissau, não tinha pressa de jogar.

De uma perca de bola a meio campo o contra-ataque dos guineenses fez o esférico chegar a Frederic Mendy que no flanco direito “comeu” Jeitoso e cruzou para a pequena área onde Djassi Piqueti deixou na covas Infren e com um ligeiro toque abriu o placar. Era a segunda vez que chegavam a baliza de Leonel.

Atabalhoadamente os “Mambas” tentaram ir atrás do empate, no auge dos seus 35 anos Domingues era o mais inconformado, aparecia em todo lado, tentava roubar a bola, lançar o ataque e até comandava onde os colegas deviam lançar os ataques, mas saíram para o descanso em desvantagem. Tinham tido 63 por cento de posse de bola e feito 6 remates. Os guineenses com apenas 3 remates tinha chegado ao golo.

A 2ª parte não podia ter começado melhor para Moçambique, graças a um lançamento longo da defesa Ratifo recebeu perto da grande área, depois de Reginaldo pentear a bola para si, ultrapassou o defesa e com o pé direito chutou por baixo do guarda-redes Jonas que tentava fazer a mancha. F

azendo o seu jogo pausado, afinal o empate servia-lhe para o apuramento, e em contra-ataque os anfitriões criavam perigo mas Leonel mostrou toda a sua classe, como na palmada que por instinto fez no minuto 65 cortando o remate de Toni Silva na sua cara.

Abel Xavier refrescou a equipa, lançou Dayo para o lugar de Reginaldo, trocou Ratifo por Maninho e tirou Reinildo colocando Nelson no ataque. Oportuníssimo o avançado do Costa do Sol fez a cambalhota no placar quando no minuto 88, Infren lançou longo da linha lateral Mexer serviu-lhe de bandeja e na confusão da pequena área teve a calma de chutar para o fundo das malhas. Moçambique acabava de carimbar o passaporte para o CAN de 2019.

Mas em tempo de compensação, no minuto 93, os “Djutos” ganharam um livre a meio do meio campo, a bola foi pingada para área por José Mendes, nove moçambicanos viram a bola viajar até ao poste direito de Leonel, fazer ricochete e sobrar para Frederic Mendy que sem oposição fez o que havia feito no Zimpeto, o golo do empate.

O passaporte para a fase final que vai ser disputada no Egipto, agora por 24 selecção, foi retirado aos “Mambas”, ou melhor Moçambique deixou-o na mão dos namibianos quando perdeu as duas partidas em Outubro passado.

As lágrimas de Domingues retratam a frustração do capitão que poderá ter perdido a última chance de voltar a disputar um CAN.

Eis os 24 países apurados para o CAN deste ano - entre 21 de Junho e 19 de Julho -, depois de terminada a sexta e última ronda:

Egipto - organizador

Senegal

Madagáscar

Marrocos

Camarões

Mali

Burundi

Argélia

Benin

Nigéria

África do Sul

Gana

Quénia

Zimbabwe

RD Congo

Guiné-Conacri

Costa do Marfim

Angola

Mauritânia

Tunísia

Egito

Guiné-Bissau

Namíbia

Uganda

Tanzânia

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom