Faixa publicitária
À terceira Ferroviário de Maputo agarra mais importante troféu de clubes de basquetebol de África
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Desporto
Escrito por Adérito Caldeira  em 26 Novembro 2018
Share/Save/Bookmark

Foto da FIBA AfricaE à terceira final consecutiva as “locomotivas” agarraram enfim o mais importante troféu de clubes de basquetebol do nosso continente, a vitória de 56 a 59 pontos deste domingo (25) sobre o Interclube de Luanda foi também uma vingança a derrota de há 2 anos em Maputo e o findar da hegemonia angolana que durava desde 2013. Anabela Cossa foi coroada a melhor triplista e a única moçambicana no cinco ideal da Taça dos clubes campeões africanos em basquetebol seniores femininos que decorreu na capital moçambicana.

A equipa cinco vezes campeã africana abriu as hostilidade no pavilhão do Maxaquene mas Leonel Manhique deu uma lição de estratégia garantindo uma marcação “mulher a mulher” as principais jogadoras da equipa angolana: Italee Lucas e Nadir Manuel. Defendendo bem o Ferroviário de Maputo fez a cambalhota no marcador e saiu vitorioso do 1º período 11 a 16 pontos.

O Interclube voltou ao ataque, retomou a liderança do placar e alargou até 6 pontos a vantagem até as “locomotivas” entrarem no 2º período. Depois a norte-americana Carmen Thomas começou a justificar a sua contratação e com um triplo reduziu para apenas 3 a desvantagem ao intervalo.

No regresso dos balneários Carmen encestou outra bomba e deu nova liderança a equipa anfitriã. As angolanas deram réplica e a liderança do placar foi-se alterando até Ingvild Mucuaro e Anabela Cossa mostrarem a sua pontaria e garantirem vitória no término do 3º período por 44 a 47 pontos.

Anabela Cossa coroada

A equipa de Apolinário Paquete pareceu ter-se resguardado para o derradeiro período onde entrou com uma bomba de Rosemira Daniel, que empatou a final, e uma segunda, desta vez de Italee Lucas, deu vantagem. Nadir Manuel aumentou a vantagem antes do Ferroviário conseguir marcar por Amélia Macamo, da linha de lançamentos livres.

Seguiram minutos de muito nervosismo e ataques desperdiçado por ambas equipas. Depois Carmen Thomas começou a brilhar, com dois cestos fez a cambalhota no marcador e Odélia Mafanela aumentou a vantagem do Ferroviário de Maputo.

O Interclube respondeu por Ngiendula Filipe e Italee Lucas que a 58 segundos do término deram nova vantagem a equipa de Angola. Porém Carmen Virginia Tyson-Thomas estava imparável e com uma bomba colocou o Ferroviário novamente na frente, mas ainda faltavam 56 segundos por jogar. A norte-americana dos “locomotivas” somou 20 pontos, fez cinco ressaltos, 1 assistência e 4 roubos de bola.

Foto da FIBA AfricaApolinário Paquete colocou toda a sua experiência de basquetebol na quadra do pavilhão do Maxaquene mas a estratégia de Leonel Manhique levou vantagem sentenciada por Anabela Cossa que a 16 segundo do fim ainda converteu um lançamento livre.

O Ferroviário de Maputo, finalista vencido em 2016 e em 2017, junta-se ao Desportivo de Maputo (2012, 2008 e 2007), Académica (2001) e ao Maxaquene (1991) no restrito grupo de clubes campeões africanos em basquetebol sénior feminino.

Anabela Adriana Cossa, de 32 anos de idade, foi coroada a melhor triplista desta prova e ainda indicada para o cinco ideal da Taça dos clubes campeões africanos em basquetebol seniores femininos.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom