Faixa publicitária
Liga dos Campeões Africanos: Ferroviário da Beira sem ambições começa fazer história na Tunísia
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Desporto
Escrito por Adérito Caldeira  em 12 Maio 2017
Share/Save/Bookmark

O Ferroviário da Beira sem ambição de vencer, e sobrecarregado com jogos bi-semanais no Moçambola de 2017, começa a escrever novas páginas na história do seu futebol, e no de Moçambique, a partir do princípio da noite desta sexta-feira(12) quando entrar para o relvado do estádio olímpico Sousse onde vai enfrentar o poderoso Étoile Sportive du Sahel, em partida da 1ª jornada do grupo A da Liga dos Campeões Africanos.

Após cerca de um dia de viagens, com escala fora do nosso continente, os campeões nacionais já estão na cidade tunisina de Sousse onde nesta sexta-feira a partir das 18 horas locais (19 horas em Moçambique) estreiam-se na fase de grupos da milionária prova de clubes da Confederação Africana de Futebol(CAF).

Para o treinador Aleixo Fumo as expectativas são pouco animadoras pois o plantel tem várias baixas, “estamos numa situação muito mais difícil do que a do Moçambola, porque há jogadores que estão disponíveis para o Moçambola e temos estado a usa-los e não vão estar disponíveis para este jogo da 1ª mão, então vai ser complicado mesmo”.

“A sobrecarga de jogos que estamos a ter no Moçambola, desde que começou a época, há dois meses, só tivemos uma semana inteira para treinar, jogamos domingo e quarta, domingo e quarta, é uma sobrecarga muito mas muito grande para os jogadores”, disse o técnico aos microfone do canal desportivo da Rádio Moçambique.

Segundo Fumo a sua equipa vai tentar fazer um “percurso meritório na Liga dos Campeões sem a descurarmos aquilo que são os objectivos principais do clube que é tentar revalidar o campeonato e atacar a Taça de Moçambique, e quem sabe também a Liga BNI. Vamos tentar ver se com a nossa entrada na Liga dos Campeões isso não seja motivo para que a gente não possa alcançar os objectivos que traçamos internamente para o clube. Agora sabemos que vai difícil, vai ser extremamente complicado, mesmo pela questão das viagens vai ser muito complicado. Repare que nós vamos sair na quarta-feira e chegar na quinta-feira, não sabemos a que horas, a Tunísia e para jogar na sexta-feira”.

Mas apesar das limitações Aleixo Fumo não se fica pelas lamentações e promete, “vamos fazer aquilo que estiver ao nosso alcance para dignificarmos primeiro o país, a província e o clube particularmente”.

Na partida de estreia nesta fase, 15 anos depois de um clube moçambicano participar na mesma competição, os “locomotivas” do Chiveve enfrentam um dos melhores e mais históricos clubes da Tunísia. Vencedor de nove campeonatos e sete taças tunisinas o Étoile Sportive du Sahel é um habitual competidor na Liga dos Campeões Africanos que já venceu em 2007, ano em que representou o continente no mundial de clubes. Antes tinha ainda conquistado quatro Taças da CAF, quatro Supertaças da Confederação Africana de Futebol. No campeonato tunisino, que no passado fim-de-semana disputou a 9ª jornada, o adversário dos “locomotivas” é o 2º classificado com menos um ponto do que o líder.

Portanto mesmo um Ferroviário da Beira na máxima força teria grandes dificuldades para fazer um bom resultado na Tunísia.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 3
FracoBom