Faixa publicitária
Quem vandalizou os grafites de Shot B?
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Cultura
Escrito por Redação  em 13 Fevereiro 2014

Como nos filmes de terror, em princípio, ninguém sabe, ninguém viu, ninguém tem pistas – o que se sabe é que, surpreendentemente, no dia seguinte, os grafites, de um dos maiores artistas gráficos moçambicano, Shot B, que – além de emprestarem alguma beleza aos muros da nossa Maputo – atraem os moçambicanos que, todos os dias, passam pela Avenida da OUA, ao exercício da cidadania, foram vandalizadas. Será que se pretende calar a voz do artista?

A sabotagem das obras de grafite de Shot B – mais conhecido pelo nome Bruno Mateus – é uma ocorrência que assustou todos os residentes da zona onde a parede se encontra. No entanto, apesar de tudo, ninguém dos moradores da referida área assume ter visto os protagonistas da vandalização.

As criações de Shot B ilustram – entre vários aspectos – um avatar que nos recorda a imagem do Presidente da República, Armando Emílio Guebuza, bem como uma mulher a clamar pela paz no país. Tudo, sem nenhuma explicação, sem nenhum precedente, foi vandalizado. Agora, as paredes estão pintadas com uma tinta branca, reduzindo-as à nudez em que se encontram sem aquela forma de arte.

Entretanto, dada alguma visão política – incómoda, para algumas pessoas – que as imagens possuem, o artista suspeita que “se está diante de alguma espécie de censura à arte. A verdade, porém, é que as obras não foram colocadas na referida parede de forma ilegal. Os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique E.P e a Direcção Municipal de Actividades Económicas – como os documentos comprovam – autorizaram a produção da exposição”.

“Na sequência do pedido por vós formulado a solicitar a ocupação do muro de vedação do Centro Regional de Formação ao longo da Avenida da OUA com a intervenção do Artista Bruno Mateus com a pintura e técnica de grafíti sob o lema PRECARIEDADE, vimos por meio desta comunicar a nossa aderência ao projecto cedendo a utilização do espaço supra indicado para aquela intervenção artística que acreditamos vai acrescentar valor ao espaço e à urbe em geral”, lê-se num documento emitido pelos CFM, a 25 de Junho de 2011.

Nesse sentido, e aliando-se ao facto de que a comunicação das instituições de especialidade autorizou a sua produção, Shot B afirma que – se houvesse necessidade de remover as obras – devia- se proceder da mesma forma, comunicando-se ao artista e não vandalizá-las. Além do mais, “teria de se criar um fundo para que as mesmas fossem repostas num outro espaço alternativo, a fim de cumprirem a sua missão social”.

O criador está resolvido a seguir o caso, em todos os seus trâmites, para perceber, com pormenor, o que está a acontecer. Enquanto isso, nesse momento, uma série de questões povoa a mente dos amantes das artes – o grafite em particular. Quem autorizou a sua sabotagem? Porque procedeu assim? Qual será a posição do Ministério da Cultural? Qual será o desfecho do caso? O que é que essa atitude significa? Será que se pretende calar a voz do artista? Nos próximos tempos, vamos acompanhar o desenrolar dos factos.

Saiba mais

Para saber mais sobre o projecto Ocupações Temporárias visites os links http://ocupacoestemporarias.blogspot.com/, https://www.facebook.com/pages/Ocupa%C3%A7%C3%B5es-Tempor%C3%A1rias/200841099975714 e http://www.verdade.co.mz/component/ content/article/22199-precariedades

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 9
FracoBom