Faixa publicitária
Aza-leaks esta quinta no Gil Vicente
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Cultura
Escrito por Redação  em 03 Agosto 2011
Share/Save/Bookmark

O músico moçambicano Azagaia apresenta esta quinta-feira, a partir das 21 horas, no café bar Gil Vicente, localizado na zona baixa da Cidade de Maputo, em reposição o seu mais recente trabalho musical intitulado Aza-leaks. O concerto esteve inicialmente agendado para o passado sábado mas o "rapper" foi detido pela Polícia da República de Moçambique (PRM) poucas horas antes de entrar em palco.

Segundo a PRM, no sábado, Azagaia foi interceptado pelos agentes da PRM com quatro gramas de 'soruma' (cannabis sativa) e, de seguida, encaminhado para uma esquadra, donde foi transferido para as celas da Polícia de Investigação Criminal.

Azagaia (de nome próprio Edson da Luz), que entretanto foi solto mediante termo de identidade e residência, na manhã da última segunda-feira, desmente a versão da polícia. Em comunicado Azagaia assegurou que dará uma explicação do sucedido assim que se sentir capaz. "Já estou em liberdade, minhas queridas e meus queridos. A cabeça dói, a manhã foi muito agitada. Os ossos da bacia doem também, (pois) dormi duas noites no chão. Agradeço com toda a minha alma a todos que me apoiaram, todos! Vou escrever-vos sobre o que aconteceu, assim que me sentir capaz", garantiu o músico.

O novo álbum é intitulado Aza-leaks, numa alusão satírica aos telegramas divulgados pelo Wikileaks - nome da organização que tornou públicos uma série de telegramas secretos de diplomatas norte-americanos e que, num desses telegramas foram feitas denúncias de suposto tráfico de drogas em Moçambique, envolvendo figuras do Estado e empresários nacionais.

Entretanto o videoclip "Minha Geração" já pode ser visto, e ouvido aqui...

Confira a letra

Intervenção inicial de Ras Haitrm (não disponível)

I (Azagaia)

Dizem que sou da geração da viragem, aqueles que se viram

Pra pagar os preços de aluguer de casa que subiram

Dos combustíveis que também subiram

Até a autoestima subiu, só os salários não subiram

 

A geração dos que lambem botas pornograficamente

Até o chefe ejacular no fim do mês mais um aumento

A geração que fala em mudança, mas tem medo dela

Só mudam de calças Gucci para Rocafeller

 

Dizem que pertenço a ela, geração do capricho

Que desfila carros de luxo, em bairros de lixo

A geração onde o H.I.V mais gente contamina

Jovens com corpo de ginásio não vestem camisinha

 

A geração que só cala, admira o povo de Sofala

Mas quando chega a hora de agir, manos... só fala

E que pior que perder o emprego aqui, só bala.

É por isso que quando o Azagaia fala, abala.

 

Dizem que sou da geração que não tem cultura de trabalho

Que assiste escândalos de corrupção no Ministério do Trabalho

A chamada geração de vândalos e marginais

A mesma que enche comícios em campanhas eleitorais.

 

 

Coro (2x)-(Ras Haitrm)

 

II (Azagaia)

Eu sou da geração que não deixa o nó da gravata

Prender o grito de liberdade que explode na garganta

A geração que sabe quem merece uma estátua

Carlos Cardoso e Siba-Siba Macuacua

 

Eu sou da geração que discute ideias

Não importa se são de Simango ou do camarada Eneas

Não importa se é da prostituta da rua mais feia

É que eu já vi ministro ir parar na cadeia

 

Eu sou da geração dos competentes, não dos obedientes

Dos intervenientes, não dos convenientes

Aquela que morde o bife sem dentes

Pergunta os Madgermane e os Antigos Combatentes

 

Pergunta...quem não conhece a minha geração

A que em Fevereiro e Setembro fez parar uma nação

A geração... enteada do poder

Azagaia na Procuradoria, o puto vai se arrepender

 

Enganam-se porque eu sou da geração da liderança

Daqueles que perde a vida, e só depois a esperança

Por isso não aceitamos fazer merda por dinheiro

Não nos falta papel higiénico no banheiro

 

Intervenção de Ras Haitrm (não disponível)

 

III (Azagaia)

Mano Azagaia, Azagaia p’ra os amigos

Herói p’ra o povo, filho da mãe p’ra os políticos

A minha geração sabe que eu sou espelho dela

Pariu-me de novo e chamou-me Edson Mandela

 

Eu sou da geração que duvida da nossa justiça

Tirem as AKM´s e olhem p’ra nossa polícia

E não me calo se me censuram na rádio e na TV

Porque a minha geração acredita em mais do que vê

 

Em mais do que lê… sobre verdades e mentiras

É que a minha gente sabe que há verdades com mentiras

Que há cobardes que se escondem e lambem as feridas

Que pra parar greves, mandam tirar vidas

 

Mas a minha geração organiza ximocos no spiko

Quando lê Chika Onyeani e exalta Steve Biko

Se tu americanizas bro, eu moçambico

E vivo disposto a morrer por aquilo que acredito.

 

Coro (2x)-Ras Haitrm

 

Comentários   

 
0 #1 candido 13-08-2011 14:37
Comentar? sem comentarios,not a 1ooo.ooooo
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 11
FracoBom