Faixa publicitária
Tribunal militar do Egipto sentencia 17 pessoas a morte por ataques contra igrejas
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - África
Escrito por Agências  em 12 Outubro 2018
Share/Save/Bookmark

Um tribunal militar egípcio sentenciou 17 pessoas a morte nesta quinta-feira por envolvimento em ataques a bombas em três igrejas e num posto de controle policial em 2016 e 2017, que mataram mais de 80 pessoas, relatou a agência de notícias estatal Mena.

Dezenove outros receberam sentenças de prisão perpétua pelos ataques, que atingiram igrejas no Cairo, na cidade mediterrânea de Alexandria e na cidade de Tanta, no delta do rio Nilo, relatou a Mena. As sentenças podem ser recorridas.

A Reuters não pôde determinar imediatamente se os acusados haviam apresentado recursos, ou contatar seus advogados.

A minoria cristã copta do Egipto, que representa uma estimativa de 10 por cento da população, tem sido um alvo frequente de ataques e de perseguição desde um levante que derrubou o ex-presidente Hosni Mubarak em 2011.

Militantes do Estado Islâmico reivindicaram responsabilidade pelos ataques a bomba em Alexandria e Tanta, ambos ataques suicidas no Domingo de Ramos em Abril de 2017.

Os dois ataques deixaram um total de 45 mortos. O grupo também reivindicou responsabilidade por um ataque em Dezembro de 2016, que deixou 28 mortos, em uma capela adjacente à catedral de São Marcos, no Cairo. A catedral é a sede do papa copta Teodoro II e a segurança normalmente é reforçada.

A agência Mena informou que alguns dos réus também são suspeitos de terem realizado um ataque contra um posto de controle no deserto ocidental do Egito que matou ao menos oito policiais no ano passado.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom